Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Simpósio discute ações e política de extensão nos Institutos Federais
Campus Natal-Central

Simpósio discute ações e política de extensão nos Institutos Federais

01/12/2014 - Realizado pela Pró-Reitoria de Extensão do IFRN evento segue até amanhã (2)

Simpósio discute ações e política de extensão nos Institutos Federais

Conferência de abertura foi realizada por Giano Luis Copetti, coordenador nacional do Forproext

Com o tema "Os desafios da política de extensão nos Institutos Federais do Nordeste", teve início na manhã de hoje (1º), no auditório do Campus natal-Central, o II Simpósio de Extensão do IFRN. A abertura do evento ficou a cargo de Giano Luis Copetti, coordenador nacional do Fórum de Pró-Reitores de Extensão (Forproext), que proferiu a conferência “O Panorama da Extensão nos Institutos Federais: concepções, diretrizes, ações e fomento à extensão nos IFs”.

Estiveram presentes ao evento, compondo a meda de abertura, Belchior Rocha, reitor do IFRN; Régia Lúcia Lopes, pró-reitora de Extensão do Instituto; José Arnóbio de Araújo, diretor-geral do Campus Natal-Central; Luís Antônio Soares de Araújo, diretor de Extensão do Campus, e Jairo José dos Santos, superintendente da Fundação de Apoio ao IFRN (Funcern).

Participaram da conferência de abertura, ainda, alunos, gestores e servidores do IFRN e de outros Institutos Federais e Rafael Barreto Almada, Assessor Especial para o Desenvolvimento da Extensão Tecnológica do Núcleo Estruturante da Política de Inovação da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec/MEC), na ocasião, representando a secretaria.

Em sua fala, José Arnóbio de Araújo lembrou a realidade do IFRN há cerca de 30 anos, quando, segundo ele, havia uma barreira com a comunidade. O diretor-geral pontuou que, apesar da barreira física, hoje as pessoas conseguem enxergar a instituição como um espaço aberto de conhecimento. "A interlocução com a comunidade exterior é importantíssima para o fortalecimento dessa instituição de ensino", destacou Arnóbio. A pró-reitora de Extensão do IFRN frisou a necessidade das ações de extensão serem traçadas a partir de uma perspectiva emancipatória, lembrando a pedagogia de Paulo Freire. 

O reitor Belchior Rocha explicou que a extensão é uma das formas de atender a população, uma vez que as vagas nos cursos regulares do IFRN não são suficientes para a demanda, sendo necessária a realização de processos seletivos."Precisamos compartilhar o conhecimento que temos com a comunidade , principalmente quando levamos em consideração nossa função enquanto servidores públicos. E também absorver os conhecimentos das pessoas que fazem essa comunidade", declarou Belchior Rocha.

Após os discursos dos componentes da mesa, teve início a conferência de abertura.Em sua apresentação, Giano Luis Copetti discutiu o papel das ações de extensão no âmbito dos Institutos Federais. Segundo o conferencista, o ponto de partida é a necessidade de uma interação dialógica e transformadora entre instituições e comunidade, considerando a territorialidade - características econômicas, sociais e culturais da região para a qual os projetos de extensão são direcionados.

Giano chamou a atenção ainda para o caráter de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, exigido por lei, na atuação das instituições federais de ensino. A extensão precisa, nesse ponto de vista, associar o ensino e a pesquisa, com a participação de alunos, o apoio de parceiros externos e uma atuação interdisciplinar. "Toda vez que eu fizer ensino com um olhar voltado para a comunidade, eu vou fazer pesquisa aplicada, eu vou fazer o multidisciplinar. Convido-os então a fazer um ensino extensionista", sugeriu Copetti. Segundo ele, os Institutos Federais têm um direcionamento maior para a extensão assim como as universidades federais o têm para a pesquisa. "Nossa prioridade é dar respostas à comunidade", completou. 

O coordenador do Forproext ainda destacou ações desenvolvidas no âmbito do Fórum que visam ao fomento das ações de extensão, como a criação da Bolsa Formação do Programa de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), a institucionalização do Programa Mulheres Mil, a elaboração de um documento normatizador de extensão para os Institutos Federais, entre outros.

No final da conferência, houve um momento de debate para discussão dos temas abordados na palestra com o úblico presente.O II Simpósio de Extensão é realizado pela Pró-Reitoria de Extensão do IFRN e segue até esta terça-feira (2), com painéis temáticos, apresentações de banners e atividades culturais.

ACESSE A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO EVENTO.

Ações do documento

Página em carregamento