Portal IFRN

Educação, Ciência, Cultura e Tecnologia em todo o Rio Grande do Norte

Olimpíada Brasileira de Geografia

Campus São Gonçalo do Amarante se destaca na oitava OBG

As provas aconteceram no mês de agosto deste ano

Publicada por Sirley Oliveira em 21/09/2023 Atualizada há 10 meses

Na semana passada, foi divulgado o resultado estadual da oitava edição da Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG). O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) novamente foi destaque, totalizando 99 equipes premiadas. Os campi do Instituto potiguar que mais conquistaram medalhas foram: São Gonçalo do Amarante (35), Natal – Central (20), Mossoró (15) e Pau dos Ferros (12).

Pela segunda vez consecutiva (edições 2022 e 2023), o Campus São Gonçalo do Amarante foi a escola que mais conquistou medalhas no Estado do Rio Grande do Norte: cinco de ouro, nove de prata e 21 de bronze (confira aqui a lista das equipes premiadas do campus). Considerando que a fase estadual da OBG é realizada por equipes, de até três componentes cada, tivemos 104 alunos premiados.

O resultado é fruto do envolvimento e da dedicação dos alunos participantes, do apoio dado pela direção do Campus e de um projeto de preparação dos alunos coordenado pelos professores de geografia Marcelo Amorim e Wilson Moreira.

Conforme Amorim, "a participação dos alunos na OBG transcende os conhecimentos relacionados à ciência geográfica. O evento é importante para despertar a importância da participação dos alunos nas diversas olimpíadas do conhecimento e, principalmente, despertar a capacidade de cada um de conquistar seus objetivos".

Experiência

Letícia Dias e Luísa Sena, ambas do terceiro ano do curso técnico em Logística, formaram a equipe Rocket. Luísa, que já havia participado de algumas edições da Olimpíada de Matemática (OBMEP), comemora a conquista do ouro em sua primeira participação na OBG, fruto do comprometimento assumido desde o início do projeto com os professores. Para ela, um dos pontos positivos foi que a primeira etapa desta competição aconteceu durante o recesso escolar do IFRN, o que possibilitou à dupla mais tempo de dedicação às três provas online.

Luísa Sena, medalha de ouro na OBG 2023

"Eu vi a olimpíada como oportunidade não só de melhorar meu currículo, mas também a comunicação e o trabalho em equipe", diz Luísa. "Achei super válido o desafio de trabalhar com pessoas com as quais eu não tinha muita proximidade."

Quando questionada sobre as provas, a aluna comenta sobre uma tarefa específica, de localizar cidades no mapa: "eu considerei a mais divertida de todas. Foram duas horas 'viajando' no Google Maps."

Ela gostou tanto da experiência que garante participar novamente no próximo ano. E manda um recado aos que ainda não se inscreveram: "Independente de ganhar medalha, você irá desenvolver habilidades com organização de tarefas, trabalho em equipe e senso de responsabilidade. Se você tiver um tempo, não perca essa oportunidade!", conclui.

Parceria

O projeto de preparação das equipes para a OBG 2023 envolveu ainda, em colaboração com a professora de geografia Eloisa Arruda, quatro equipes do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Ruy Pereira dos Santos. Todas conquistaram medalhas, sendo três de prata e uma de bronze.

Olimpíada

A OBG é dividida em duas etapas: online a nível estadual (com 3 fases) e presencial, com equipes classificadas para a final. Cada equipe é formada por três alunos/as e um professor/a orientador/a, e devem pertencer à mesma escola na qual estão matriculados.

Apenas os medalhistas da Fase Presencial Nacional poderão participar da seleção para compor a Equipe Brasileira, a qual participará da próxima edição da International Geography Olympiad – iGEO 2024.

Acesse:

Palavras-chave:
olimpíada de geografia
medalhas

Notícias relacionadas