Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / IFRN na final do “XXI Prêmio Arte na Escola Cidadã”
Campus Pau dos Ferros

IFRN na final do “XXI Prêmio Arte na Escola Cidadã”

25/08/2020 - Projeto é um dos 20 finalistas entre 1, 2 mil inscritos de todo o país

IFRN na final do “XXI Prêmio Arte na Escola Cidadã”

A grande final terá seu resultado divulgado no dia 28 de agosto

Um projeto desenvolvido no Campus Pau dos Ferros do IFRN pode render uma premiação nacional. Intitulado “Artes Cênicas: Pulando o Muro da Escola”, o trabalho de autoria do professor Emanuel Alves Leite, da disciplina Artes, está classificado para a final do  "XXI Prêmio Arte na Escola Cidadã”. O projeto é um dos 20 selecionados entre aproximadamente 1.200 trabalhos de docentes de todo o Brasil. No Rio Grande do Norte, apenas dois professores conseguiram a classificação. 

Escola Cidadã

O Prêmio Arte na Escola Cidadã "tem a missão de ampliar a voz de professores, valorizando projetos que despertam novos olhares e inspiram alunos, cidadãos e comunidades", diz o Portal da premiação. Para identificar projetos transformadores no ensino de Artes, o prêmio faz um mapeamento de trabalhos, sejam de música, teatro, artes visuais e/ou dança, desenvolvidos em escolas das cinco regiões do país. Realizado pelo Instituto Arte na Escola, em parceria com a Fundação Iochpe e Secretaria Especial da Cultura do Governo Federal, a edição 2020 homenageia o artista Siron Franco.

Emanuel Coringa, como o professor do Campus Pau dos Ferros e conhecido, celebrou a classificação: “Muito feliz nessa manhã! Do Campus Pau dos Ferros do IFRN, em pleno Sertão, surge reconhecimento de trabalhos de artes desenvolvidos por nós. Já me sinto vencedor. Esse reconhecimento é importante em um momento onde a educação brasileira é perseguida, professores difamados, verbas para educação cortadas. Necessitamos que respeitem as universidades e institutos federais, instituições que mudam verdadeiramente as nossas vidas, a minha e dos nossos alunos”, disse.

A grande final acontecerá ao vivo e online, no dia 25 de novembro. O professor Coringa, finalista na edição 2019 do prêmio, concorre novamente na categoria “Ensino Médio”, através do projeto intitulado “Artes Cênicas: Pulando o Muro da Escola”. O prêmio contempla cinco categorias: Educação Infantil, Ensino Fundamental 1 , Ensino Fundamental 2 , Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos. De cada uma delas sairá um projeto vencedor, com premiação de R$ 10 dez mil pela autoria do projeto; as cinco escolas vencedoras levam um computador e uma câmera digital cada. Além disso, certificado de premiação e troféu exclusivo criado pela artista Ester Grinspum serão encaminhados à escola e quem vencer nas categorias. A premiação ainda conta com a realização de documentários sobre os projetos vencedores, com as filmagens sendo feitas nas escolas onde cada projeto aconteceu. Por fim,  docentes vencedores participam de uma programação formativa e cultural em São Paulo/SP. Representantes das escolas também são convidados para participarem desta programação.

Teoria e Prática

O projeto intitulado “Artes Cênicas: Pulando o Muro da Escola” objetiva unir conteúdos teóricos e práticos no campo das artes cênicas, além das questões problemáticas apontadas pelos alunos partindo do seguinte questionamento “o que você gostaria de falar em discurso que poderia ser transformado em obras arte?”.

“As produções buscam dar a oportunidade de os jovens compreenderem o potencial das artes como universo de construção de conhecimento, transformação de ideias e reflexões trazidas para as obras artísticas através das próprias escolhas dos alunos. Um dos questionamentos é: ‘quais as questões que afligem de forma preocupante o universo de nossos adolescentes e que podem ser problematizadas pelas artes cênicas? ’”, disse Coringa.

Para o professor, as ações devem ultrapassar os muros da escola: “Nesse percurso Artístico/pedagógico, teórico e prático, construímos e construiremos ações performáticas apresentadas dentro e fora do espaço escolar, além de edição de vídeosperformances  que serão exibidas em eventos da Instituição, “e pularam o muro da escola” através da utilização das tecnologias da informação e comunicação (TICs), fazendo uso da internet como ferramenta de auxílio para produção, discussão e desenvolvimento estético dos trabalhos artísticos desenvolvidos no Campus”, detalhou.

“A busca é dar voz reflexiva, ativa e protagonista aos alunos a partir de nossas obras de arte que não podem restringir sua função e potencial artística social apenas ao espaço escolar e seus frequentadores diários, mas abranger uma escala maior chegando na comunidade como um todo através das estratégias desenvolvidas pelos alunos e professor orientador para difusão de suas obras.”, finalizou Emanuel.

Para conhecer as produções artísticas e pedagógicas desenvolvidas pelo professor basta acessar e/ou seguir o canal do YouTube

Prêmio Arte na Escola Cidadã

Ações do documento

Página em carregamento