Você está aqui: Página Inicial / Campi / Natal - Cidade Alta / Notícias / Campus inicia ensino misto provisório nesta segunda (29)
Presencialidade

Campus inicia ensino misto provisório nesta segunda (29)

29/11/2021 - Assim como demais campi, Natal - Cidade Alta está na segunda fase do retorno gradual da presencialidade

Campus inicia ensino misto provisório nesta segunda (29)

Neste momento, aulas estão ocorrendo na Unidade Rocas

Após 19 meses, as aulas presenciais no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) começaram a ser retomadas de forma gradual. O retorno em fases da presencialidade vem ocorrendo por meio do ensino misto provisório, com aulas presenciais e remotas, após a aprovação do Conselho Superior (Consup) do IFRN, através da Resolução nº 47/2021.

Desde 17 de março de 2020, as aulas presenciais no Instituto estão suspensas como forma de prevenção à Covid-19. No dia 29 de outubro, diversos campi do Instituto deram início ao retorno. Há exato um mês depois, é a vez do Campus Natal – Cidade Alta (CAL) abrir novamente suas portas para o ensino presencial.

O diretor-acadêmico da unidade, professor Ayres Charles de Oliveira Nogueira, é quem dá as boas-vindas aos estudantes do Campus: “Bem-vindos, acadêmicos e acadêmicas do CAL! Estamos todos desejosos pelos reencontros pedagógicos, para que possamos construir o melhor de nós no ambiente escolar. A escola é, sem dúvida, o lugar privilegiado para o estabelecimento de vínculos em redes de saberes e de relações interpessoais. E na base dessas redes estão a preservação e o avanço da vida humana, mirada por esta pandemia que ainda não acabou.

A Resolução nº 47/2021 estabelece que o retorno à presencialdade do ensino ocorra de forma gradual, em fases, levando em consideração as condições sanitárias. Segundo o documento, caso haja retrocesso nos indicadores das condições de biossegurança que inviabilizem a permanência em uma determinada fase, “haverá retorno a uma das fases/subfases anteriores”. Nesta linha, o professor Nogueira declara que, “enquanto instituição, ponderamos e estabelecemos de etapas criteriosas a esse retorno presencial das aulas. Precisamos, ainda, nos cuidar mutuamente, para que não tenhamos de regredir essas etapas. Só há saberes porque há vida humana. É nesse sentido que as nossas atividades acadêmicas devem se pautar nesta volta à presencialidade”.

Reorganização para o novo

O Campus Natal – Cidade Alta do IFRN possui dois prédios: um localizado na Avenida Rio Branco e outro no Bairro Rocas. A técnica em assuntos educacionais, Gilvana Galeno Soares, está como diretora-geral substituta na unidade. Ela explica que o Comitê Covid do IFRN avaliou que o prédio situado na Av. Rio Branco ainda não condições de receber os estudantes. “É um prédio mais antigo, algumas salas de aulas não possuem janelas, só têm uma porta, então não têm circulação natural de ar, o que acomodaria poucos estudantes”.

Por esta razão, a Direção-Geral optou por não realizar atividades na unidade Rio Branco enquanto durar o ensino misto provisório. “Desceremos todos para a unidade das Rocas, pelo menos durante esse período”, disse Galeno.

Nesta segunda (29), o Campus inicia a retomada das aulas presenciais já na segunda fase do retorno. Nesta etapa, poderão retornar turmas cujo espaço físico da sala de aula comporte a presença de todos os estudantes, respeitando-se as condições de biossegurança. Também será possível a ocupação de 50% das salas de aulas, laboratórios, áreas de vivência, refeitórios e espaços comuns pelos estudantes e servidores docentes e técnicos-administrativos, mantendo a distância recomendada entre uma pessoa e outra.

Para atender aos estudantes e servidores, a unidade vem realizando adaptações, buscando melhor acomodar a comunidade acadêmica e combater a proliferação do novo coronavírus. Guilherme Porfírio, diretor de Administração do CAL, conta que entre as mudanças no Campus estão a redistribuição de cadeiras, a utilização de álcool em gel através de dispensares nos corredores do Instituto e distribuição de máscaras para estudantes e servidores.

Também foram implementadas campanhas educativas, com a fixação de cartazes e indicadores de onde podem ser feitas lavagens das mãos e sobre como deve ser o comportamento dentro da sala de aula, a fim de preservar a saúde de todos “tendo em vista que tudo mudou, em razão da pandemia”, acrescentou Porfírio.

Expectativas para o futuro e lembranças do passado

O servidor terceirizado Edmilson Firmino mostra-se animado para o retorno das aulas presencias no CAL. Porteiro do Campus há cinco anos, Firmino conta que todas as medidas de precaução estão sendo tomadas. “Temos que voltar. Estamos vacinados, e minhas expectativas são boas. Que saibamos aproveitar esse tempo perdido e que possamos recomeçar. Estou animado para receber todos os alunos e os professores”, disse.

Neste momento de retorno, é normal que a insegurança também esteja presente. É o caso da professora Vanessa Trigueiro. Questões sobre como serão os formatos das aulas que já foram ministradas de forma presencial, sobre protocolos de segurança e sobre a ocupação de ambientes abertos ou ventilados, assim como em relação a parte didática, têm lhe feito refletir e se preparar para essa nova etapa.

A professora, porém, afirma que este será um momento importante para docentes e estudantes: “A gente sabe que depois de um ano de ensino remoto, tem sido cada vez mais difícil manter o foco e a vontade de acompanhar tudo pelo computador. Eu acredito que essa troca social e presencial é extremamente importante para o contexto educacional, e será um momento muito mais de acolhimento e readaptação para comunidade escolar como um todo”, destacou Trigueiro.

Miriele Soares da Silva é estudante da Unidade Rocas e está em seu último ano no curso Integrado em Multimídia. A jovem ingressou no IFRN em 2018, após ter feito dois anos de ensino médio em outra escola. Ela relembra que constantemente ouvia "Você vai perder dois anos da sua vida. Vai terminar o ensino médio com 22 anos”, porém, a estudante revela que nesses quatro anos só ganhou: “O IFRN me proporcionou experiência profissional, acadêmica e pessoal; me ajudou crescer como cidadã e a ter senso crítico”, disse.

A aula conta que os melhores momentos vividos foram as atividades em grupo, os debates em sala e as trocas de experiências: “Poder aprender com cada professor e com os colegas de classe”. Assim como outros estudantes, após meses de ensino remoto, a jovem, prestes a concluir o curso, terá a oportunidade de ter aulas práticas no Laboratório de Informática do Campus.

Próximas fases do retorno da presencialidade no IFRN

A terceira fase do retorno está prevista para o dia 20 de dezembro deste ano. Nessa altura, terá início a volta gradual das turmas que não comportem a presença de todos os estudantes em sala, conforme às condições de biossegurança. Com as condições sanitárias favoráveis, a partir do semestre letivo 2022.1, todas as atividades do IFRN serão presenciais, tendo fim o ensino misto provisório (aulas presenciais e remotas).

A Resolução nº 47/2021 explica, porém, que, caso haja retrocesso nos indicadores das condições de biossegurança que inviabilizem a permanência em uma determinada fase, “haverá retorno a uma das fases/subfases anteriores”. Ainda segundo o documento, havendo agravamento das condições de biossegurança que inviabilizem qualquer nível de presencialidade, haverá retorno total do ensino remoto emergencial.

Acesse

Resolução nº 47/2021

Ações do documento

Página em carregamento