Portal IFRN

Educação, Ciência, Cultura e Tecnologia em todo o Rio Grande do Norte

Transformando vidas

Homenagens marcam os 10 anos do Campus Canguaretama

Evento de comemoração acontece durante toda esta quarta-feira (18)

Publicada por Luciano Silva em 18/10/2023 Atualizada há 9 meses

O Campus Canguaretama do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) realiza, nesta quarta-feira (18), o evento de comemoração dos dez anos de existência. O evento contou com a participação de estudantes, servidores, terceirizados, egressos e antigos gestores do IFRN e da unidade, que receberam homenagens.

Estiveram presentes o representante do reitor do IFRN e pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Instituto, professor Avelino Lima; o diretor-geral do Campus Canguaretama, professor Flávio Ferreira; a diretora de Administração da unidade, administradora Fabiana Melo; e o diretor-acadêmico do Campus, professor Márcio Marreiro. Também marcaram presença o primeiro diretor-geral da unidade de ensino, contador Valdelúcio Pereira Ribeiro; e antigos reitores do IFRN: professor Belchior Rocha (2008-2016), gestor durante a inauguração do Campus, em 2013; e o professor Wyllys Farkatt (2016-2020), além de demais membros da comunidade acadêmica e autoridades da região.

10 anos do Campus Canguaretama

Um trabalho feito por muitas mãos

Durante a cerimônia de abertura, o pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do IFRN, professor Avelino Lima, destacou uma “particularidade” da unidade de ensino: a proximidade com comunidades tradicionais e povos indígenas e quilombolas. Docente do Campus Canguaretama, o professor parabenizou as pessoas que compõem a unidade: “O Campus foi construído pouco a pouco, e muitas mãos participaram desse processo. Quero parabenizar essa história, que é construída, todos os dias, por aqueles que estão aqui, em salas de aula, em diversos setores técnicos-administrativos, nos corredores. Ao público externo também. É por vocês e com vocês que essa educação pública, gratuita e de qualidade, referenciada socialmente, é feita”, declarou.

Para o diretor-geral da unidade, professor Flávio Ferreira, a data é carregada de emoção e motivo de celebração. “Celebrar é sempre um corte no tempo, onde a gente faz uma reflexão sobre o que a gente construiu. É um momento onde a gente consegue enxergar a dimensão do alcance da instituição na região, da transformação que o Campus Canguaretama tem proporcionado para a comunidade do Litoral Sul”.

Transformações

A programação teve início ainda pela manhã, com o hasteamento de bandeiras, ao som da banda Pombinha, do município de Canguaretama. Após o momento, os presentes se dirigiram ao mezanino da biblioteca da instituição, para a abertura da exposição “IFRN Campus Canguaretama: uma década de transformação”, de curadoria dos professores Nilton Xavier e Flávio Ferreira.

“É uma ação colaborativa e um momento de comunicação. A exposição é sobre transformação, que vai além do espaço físico; é sobre educação que transforma vidas. Essa instituição visibiliza pessoas que, ainda hoje, por vezes, são marginalizadas. E esse foi um pouco do nosso olhar [expresso na exposição], para mostrar que esse é um trabalho que se constrói com um olhar de transformação, de coletividade, de acolhimento e de mãos dadas”, explicou Nilton Xavier.

Vida transformada

Uma das pessoas presentes na exposição foi a estudante Sônia Maria, que está no primeiro ano do Curso Técnico Integrado em Informática do Campus Canguaretama. Embora tenha ingressado no IFRN em 2023, a jovem se sente feliz ao fazer parte da história de uma década da unidade. "É uma sensação incrível. Sempre foi o meu sonho estudar aqui. Eu batalhei e estudei muito. Meus pais e amigos sabem o quanto eu me dediquei para estar no IFRN. E saber que, hoje, eu estou aqui, é a realização de um sonho".

O desejo de estudar no Campus Canguaretama tem longa data na vida de Sônia e a força para persistir no sonho veio do avô da jovem, falecido em 2021. "Eu sempre quis dar um futuro melhor, tanto para mim quanto para minha família. Quando meu avô faleceu, ele deixou uma mensagem para mim: 'estude, minha filha, para você ser alguém na vida, para você ter um futuro'. E eu sei que, se ele estivesse vivo, ele diria para mim: 'Vai, que você consegue'. E hoje eu estou aqui", finalizou.

Homenagens

Em seguida, o auditório do Campus foi palco para homenagens feitas em diversos formatos: escultura, pintura e cordel. Na ocasião, foi revelado o nome da biblioteca da unidade de ensino, que, após votação da comunidade acadêmica, passa a se chamar “Biblioteca Clara Camarão”, em homenagem à indígena potiguara que viveu durante o século XVII. Também foi revelado o nome do Complexo de Laboratórios de Mecânica e Eletromecânica do Campus: “Professor José Ribamar Silva Oliveira”, que homenageia o professor da instituição, falecido em 2022.

Ainda no auditório da instituição, foi realizada uma roda de conversa sobre os dez anos do Campus, com a participação do primeiro diretor-geral da unidade, contador Valdelúcio Pereira Ribeiro; do reitor do IFRN durante a inauguração da unidade, em 2013, professor Belchior Rocha; do reitor do IFRN durante 2016-2020, Wyllys Farkat; do pró-reitor de Ensino do IFRN durante 2016-2020, professor Agamenon Tavares; do professor e engenheiro Francisco Mariz; e do pró-reitor de Pesquisa e Inovação do IFRN durante 2016-2022, professor Márcio Azevedo.

Presentes no início

O Campus Canguaretama foi inaugurado no dia 10 de outubro de 2013 e teve como primeiro diretor-geral o contador Valdelúcio Pereira Ribeiro. Para ele, o evento desta segunda-feira é um momento de comemoração e de muita alegria: “Poder voltar ao Campus e vê-lo em pleno desenvolvimento, assim como foi no início, ver a comunidade toda envolvida no propósito de envolver essa microrregião e ver o Campus cada dia melhor, é muito gratificante. Então, eu, que fui o primeiro diretor e participei do processo de implantação, retorno aqui, hoje, e vejo que o Campus só cresceu, em termos educacionais e de vivência com a comunidade, e isso me deixa muito feliz”.

No ano de inauguração do Campus, reitor do IFRN em exercício era o professor Belchior Rocha. Ele declara que, para que a unidade do IFRN em Canguaretama fosse construída, foi preciso o trabalho de muitas mãos. “Em 2013, eu estava apenas coordenando todo o processo, como reitor da instituição. Hoje, dez anos depois, a gente vê os frutos que estão sendo colhidos com tudo isso. Eu fico muito feliz por estar acompanhando esse processo e vendo o quanto o Campus está cumprindo sua função social, integrando a comunidade, trabalhando com a sociedade, não somente em Canguaretama, mas em todo seu entorno”, disse.

Após o professor Belchior, o professor Wyllys esteve à frente da gestão do IFRN e acompanhou os primeiros anos de existência da unidade no Litoral Sul: “O Campus teve a destreza de perceber o potencial humano desta região e trabalhar em um diálogo permanente com a comunidade”, destacou Wyllys. Em entrevista, ele destacou algumas ações do Campus Canguaretama do IFRN: o inventário turístico do Litoral Sul do RN, o diálogo com povos originários e as exposições e eventos realizados. “Essas atividades fazem com que este campus se torne vivo, muito pujante, do ponto de vista das relações com a comunidade externa e, evidentemente, isso serve como diferencial, uma referência como espaço público”, concluiu.

Programação

A programação do evento de comemoração dos dez anos do Campus Canguaretama do IFRN seguiu durante toda a tarde desta quarta-feira, com mesas de conversas sobre Ensino, Pesquisa e Extensão na unidade, entregas de brinquedos para o público atendido pelo Programa Mulheres Mil e apresentações artísticas. Durante a noite, estudantes e egressos irão se reunir para conversar sobre as vivências na instituição e participar de um torneio de futsal.