Você está aqui: Página Inicial / Campi / São Gonçalo do Amarante / Notícias / IV Secitec do Campus São Gonçalo do Amarante aconteceu em formato híbrido
Secitec

IV Secitec do Campus São Gonçalo do Amarante aconteceu em formato híbrido

20/12/2021 - Evento foi realizado entre os dias 16 a 18 de dezembro

IV Secitec do Campus São Gonçalo do Amarante aconteceu em formato híbrido

Conhecimentos partilhados e produções incríveis apresentadas, marcaram a Secitec 2021 do Campus São Gonçalo do Amarante.

A quarta edição da Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura (Secitec) do Campus São Gonçalo do Amarante aconteceu entre os dias 16 e 18 de dezembro, de maneira híbrida, com transmissão realizada pelo canal oficial do Campus no Youtube, e com mediação da coordenadora de Comunicação Social e Eventos, Sirley Fonseca.

A edição de 2021 teve como tema "Corpo, Saúde e Educação: interconexão entre cultura, ciência e tecnologia”. A abertura do evento aconteceu na noite da última quinta-feira (16) e contou com a participação da diretora-geral, Marilac de Castro; do diretor acadêmico, Marcus Vinícius Assunção; e da coordenadora de Pesquisa e Extensão (Copein), Gabriela Bruno, que falaram sobre a importância da Secitec para toda comunidade escolar e externa.

A palestra de abertura, mediada pela professora de Educação Física do IFRN, Ana Kamily Sampaio, teve como tema “Corpo, saúde e cuidado de si”. A palestra foi apresentada pelo professor de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Marcel Franco, e pela enfermeira do IFRN, Sara Lira Araújo. “Conhecer a si mesmo tem relação com a saúde. Reduzir o ritmo é importante e atividades como yoga, meditação e calistenia ajudam a se encontrar consigo”, destacou o professor Marcel Franco.

Trabalhos aprovados, apresentados e premiados

Cerca de 25 trabalhos aprovados foram apresentados e avaliados na manhã da sexta-feira (17), através da plataforma Meet, e foram divididos nos seguintes temas: Engenharias; Linguística e humanidades; Ciências sociais aplicadas; e Humanidades e trabalhos de Extensão.

As apresentações foram realizadas das oito horas da manhã até 12 horas, com presença de pelo menos um representante de cada produção para responder questionamentos e tirar dúvidas sobre os temas apresentados. Todos os trabalhos foram exibidos através de vídeos previamente gravados.

As produções premiadas na categoria “Pesquisa”, anunciadas pela professora Gabriela Bruno, foram: “Raça, Gênero e Classe: uma análise linguístico-discursiva da obra ‘Quarto de Despejo’, de Carolina Maria de Jesus”, que tiveram como autoras Janaina Capistrano e Fabiane Marques; “Arte e Cultura de São Gonçalo do Amarante: expressões e representatividades”, com os autores João Damasceno, Leticia Barreto, Renato Santos, Vinicius Bonaparte e Martha Gurgel; e a produção intitulada “Parametrização em metodologias ativas em ensino remoto no ensino técnico: uma experiência no Curso Técnico em Edificações”, dos autores Marcele Bezerra, Helder Pereira, Yasmin Veríssimo, José da Cunha, Laíze Asevedo e Deisyanne Medeiros.

Os trabalhos premiados na categoria “Extensão” foram divulgados pela professora do IFRN, Marcella Assunção. São eles: “Roda Consciência 2021 - Ciclo de leituras do Neabi/SGA”, dos autores Victor Nascimento, Fabrícia Costa e Candice Azevedo;  Perspectivas e Desafios da Internacionalização no IFRN Campus São Gonçalo do Amarante”, dos autores Maria Eduarda de Carvalho, Ana Beatriz Gomes, Mylenna Cacho, Cleiton da Silva e Diana Mendonça; e “Núcleo de Arte do IFRN - São Gonçalo do Amarante”, dos autores João Damasceno, Laiane dos Santos, Ana Beatriz de Macedo, Aminá Gabrielly Gomes e Marcone Pedro da Silva.

Oficinas e Minicursos

As oficinas e minicursos em formato presencial aconteceram no início da tarde de sexta-feira (17). Os alunos inscritos estiveram no Campus para participar do momento de aprendizado e troca de experiências com professores e colegas.

Foram cinco oficinas: Práticas Manuais do Desenho Técnico; Práticas Manuais do Desenho Arquitetônico; Desenvolvimento de projetos; Desenho à mão livre: a simplicidade na ponta do lápis; Introdução à simulação com Flexsim. Além de dois minicursos: Mini introdução à Astronomia; e As vidas dos jovens negros importam: notas críticas sobre genocídio da população negra no Brasil.

A oficina “Mandalas e o cérebro” foi realizada através da plataforma Meet, na manhã do sábado (18).

Mesas redondas

No fim da tarde de sexta-feira (17), foi transmitida a mesa redonda com os egressos do Campus São Gonçalo do Amarante do IFRN, que dividiram com os espectadores suas experiências profissionais. A mesa foi mediada pela estagiária do setor de Comunicação Social e Eventos e da Coordenação de Extensão, Juliana Lima, e contou com a participação da técnica em edificações, Katarina Azevedo, do tecnólogo em logística, Alessandro Teixeira, e da técnica em informática, Ohanna Dezidério.

Os egressos dividiram suas experiências profissionais e contaram como o IFRN foi importante na formação e na entrada no mercado de trabalho. Todos os participantes falaram sobre a importância dos alunos em aproveitar as oportunidades oferecidas pela instituição ainda enquanto estudantes.

Ainda na sexta-feira, foi transmitida, ao vivo, a mesa redonda “Já acordei cansada: esgotamento de si na sociedade do cansaço e caminhos de re-existência”, mediada pela professora do IFRN, Janaina Capistrano, e com a participação do professor Pablo Capistrano, do IFRN, do professor Luciano Barbosa Justino, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), e da psicóloga da Clínica Humanus, Anna Paula Medeiros.

Os palestrantes falaram sobre a importância do autoconhecimento. “O que é ser suficiente para você?”, questionou a psicóloga, Anna Paula. Além disso, ela explicou que o nosso corpo fala conosco o tempo todo e nos mostra sinais.

Apresentações culturais

As apresentações culturais também fizeram parte do evento, e puderam ser contempladas por todos que acompanharam as mesas redondas e palestras. A Banda Municipal de São Gonçalo do Amarante (Bamusga) tocou o hino Nacional e fez uma apresentação que encantou a todos, com grandes clássicos do forró em seu repertório, além de canções natalinas. Além da banda, participaram o saxofonista e ex-aluno do Campus, Hugo Sax, que fez uma apresentação solo de saxofone.

O evento também contou com a participação da poetisa Fabiane Marques, que apresentou dois poemas autorais, sendo um deles através de uma produção audiovisual em parceria com a artista visual Auana Câmara; do grupo “Arte em cantoria”, que mostrou todo o talento vocal de seus componentes; e do flautista Henrique Câmara, de apenas 6 anos, com a beleza do som da flauta, que encantou os espectadores. O encerramento foi com a apresentação de voz e violão do professor João Damasceno.

Encerramento

Na manhã do sábado (18), após a realização da última oficina do evento, a professora Mylenna Cacho dividiu com o público a experiência de participar da 7ª Olimpíada de Língua Portuguesa da Cenpec/Itaú Cultural, na categoria “Documentário”, com a turma do segundo ano do curso de Edificações do Campus São Gonçalo do Amarante.

A professora contou que foi um desafio gratificante, pois tiveram que aliar ensino-aprendizagem com a produção do documentário. Além disso, ressaltou que cerca de 60 mil trabalhos foram inscritos para as Olimpíadas, divididos entre mais de 27 mil escolas localizadas em quase 4 mil municípios. Mylenna relatou que houve muito planejamento para chegar ao produto final, e que os alunos precisaram apresentar sinopse, roteiro e argumentos dos trabalhos.

Os documentários premiados foram: “Martírio pela fé” e “Coronavírus: o caos microscópico”. A professora Mylenna ressaltou que, mesmo em um momento tão difícil de pandemia, os alunos se empenharam e o resultado foi reflexo da dedicação deles. Os dois documentários foram apresentados na transmissão, além disso, as alunas Natainara Trindade e Alessandra Macedo, e o aluno Samuel de Medeiros, contaram como foi a experiência de participar das produções.

O final do evento contou com a fala da diretora-geral, Marilac de Castro, que encerrou a IV Secitec falando do sucesso do evento e parabenizando a todos que se empenharam para que ele pudesse acontecer de maneira híbrida: “É emocionante tudo que esse evento foi capaz de nos mostrar”, destacou Marilac. Na ocasião, a diretora aproveitou a oportunidade para anunciar que no mês de janeiro de 2022 irão iniciar as comemorações dos 10 anos do Campus São Gonçalo do Amarante, com surpresas para funcionários, servidores, servidoras e estudantes.

“Estou particularmente feliz. Fui uma das primeiras servidoras a chegar ao Campus São Gonçalo do Amarante do IFRN, em 2011, recém concursada como técnica em assuntos educacionais, para fazer parte da equipe técnico-pedagógica (Etep) e naquele ano, nós recebemos a primeira turma, que foi do subsequente em Redes de Computadores. Ainda lembro do rosto daqueles estudantes que, em sua maioria, eram oriundos da zona rural do município”, finalizou a diretora.

Ações do documento

Página em carregamento