Você está aqui: Página Inicial / Campi / São Gonçalo do Amarante / Notícias / Dia do Servidor Público: histórias de quem dedica a vida ao serviço público através do IFRN
MATÉRIA ESPECIAL

Dia do Servidor Público: histórias de quem dedica a vida ao serviço público através do IFRN

27/10/2022 - Conheça as servidoras com maior e menor tempo de serviço no Campus São Gonçalo do Amarante do IFRN

Dia do Servidor Público: histórias de quem dedica a vida ao serviço público através do IFRN

Da esquerda para a direita: Cristiane de Melo e Maria luiza

Segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, a palavra “servidor” possui o significado de “cumprir com rigor e zelo o que tem a fazer”. A noção de servir à sociedade tem resquícios na Grécia antiga. Dentre vários atributos, o servidor público deve ser educado e prestativo, com compromisso, propósito, lealdade e amor, para poder atender as pessoas em geral. Do trabalho que exercem carregam histórias de serviços prestados, inspiração e gratidão.

No dia 28 deste mês de outubro é comemorado o Dia do Servidor Público. Essa data foi escolhida porque se remete ao dia da instituição das primeiras leis que regem os direitos e deveres dos funcionários prestadores de serviço público (decreto nº 1713, de 28 de outubro de 1939).

Assim, para homenagear os servidores do IFRN, a Coordenação de Comunicação Social e Eventos do Campus São Gonçalo do Amarante (Cocsev/SGA) conversou com as servidoras com o maior e o menor tempo de prestação de serviço no Campus.

Mais de uma década de dedicação ao serviço público

Foi no ano de 2009 que Maria Luíza dos Santos Silva iniciou sua jornada como técnica administrativa do IFRN. Nascida e criada em João Pessoa, na Paraíba, começou a trabalhar bem jovem e, com muito esforço custeou os estudos para concluir o ensino médio.

Com o curso de Biblioteconomia na UFPB não foi diferente, mas ela diz que tudo valeu a pena. Alguns meses após receber o diploma, fez o concurso para ingresso no IFRN. Assumiu a vaga, inicialmente, no recém inaugurado Campus Caicó, junto com outros servidores. “Eu estava muito feliz pela oportunidade, mas minha vontade era trabalhar mais próximo da capital", admitiu.

Um ano e oito meses depois, seu desejo se concretizou a partir de um edital de remanejamento. No dia 1º de março de 2011, Maria Luiza conseguiu ser remanejada para o Campus São Gonçalo do Amarante, fruto da terceira expansão dos campi do IFRN. Porém, passou ainda alguns meses em cooperação técnica no Campus Natal – Zona Norte, até que pudesse retornar para exercer seu ofício na biblioteca em São Gonçalo do Amarante, cujo prédio ainda estava em construção.

Quando enfim assumiu seu posto, diz ter sido tomada pela emoção de ter iniciado junto com o nascimento do Campus, e com a expectativa das melhorias que seriam trazidas para a comunidade local. Inclusive, após ver toda a estrutura do Campus, “veio a lembrança do meu tempo escolar, mesmo no período em que estudei em uma escola particular, e lá não tínhamos as mesmas condições ofertadas aos alunos que frequentam o IFRN”, ressaltou a técnica.

Para Maria Luíza, carinhosamente conhecida como Malu entre os colegas servidores, ser servidora pública é estar a serviço da comunidade. “Para mim, ser servidora pública é usar a Biblioteconomia a serviço de uma comunidade acadêmica, no caso aqui a do Campus São Gonçalo do Amarante. É estar à disposição, fazendo um elo entre aquilo que optei como profissão e esse público ao qual estou ligada, de modo a proporcionar melhoria da vida dessas pessoas”, concluiu.

Boas-vindas a quem está chegando

Na outra ponta, entre os mais novos servidores do Campus São Gonçalo do Amarante, está Cristiane de Melo Soares. Natural de Belém-PA, ela reside no Rio Grande do Norte há mais de 18 anos. Licenciada em Letras Língua Portuguesa, sua trajetória na educação começou em 2003, ministrando aulas em escolas privadas e públicas, tendo atuado tanto na rede municipal de Natal quanto do Estado do RN. Em 2011, fez o concurso público para ingresso no IFRN, e exerce a função de técnica de assuntos educacionais de nível superior desde 2014, lotada na Equipe Técnico-Pedagógica (ETEP).

Cristiane relata sua trajetória na Instituição, tendo trabalhado em vários campi do IFRN: Currais Novos, Parelhas, Santa Cruz, João Câmara e Ceará-Mirim. “Entrei em exercício no Campus São Gonçalo do Amarante no dia 12 de setembro de 2022. Estou encantada com a beleza do Campus e muito feliz em trabalhar mais perto de casa, além de ter sido muito bem acolhida por todos daqui.”

 

Também ex-aluna do IFRN, onde concluiu a Especialização em Literatura e Ensino, a técnica nos conta o que significa ser servidora pública em uma instituição educacional: “Sinto muito orgulho de ser servidora e de contribuir diariamente para que o IFRN continue transformando a vida dos alunos. Nós da ETEP recebemos os calouros no primeiro dia de aula no Campus, e fazemos parte da equipe multiprofissional que irá acompanhar a trajetória escolar dos nossos alunos até o dia da formatura”. A servidora, por fim, externa o sentimento de fazer parte da família do IFRN. “É muito gratificante ver a transformação social que o IFRN possibilita ao ofertar uma educação pública, gratuita e de qualidade”, finalizou.

Ações do documento

Página em carregamento