Você está aqui: Página Inicial / Campi / São Gonçalo do Amarante / Notícias / Dia do Professor: "Educar é ensinar os outros a viver"
COMEMORAÇÃO

Dia do Professor: "Educar é ensinar os outros a viver"

15/10/2021 - Docentes relatam experiências e inspirações profissionais

Dia do Professor: "Educar é ensinar os outros a viver"

Dia do Professor foi criado por Antonieta de Barros, primeira mulher negra a ser eleita, em 1934, deputada estadual por Santa Catarina

"Educar é ensinar os outros a viver; é iluminar caminhos alheios; é amparar debilitados, transformando-os em fortes; é mostrar as veredas, apontar as escaladas, possibilitando avançar, sem muletas e sem tropeços". Assim o Jornal Correio Brasiliense cita o discurso de Antonieta de Barros (1901-1952), primeira mulher negra a ser eleita no país, responsável pela criação do Dia do Professor, em 1948. 

A data passou a ser celebrada nacionalmente em 1963, no governo de João Goulart, então presidente da República. O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), simbolicamente, presta homenagem na Reitoria e em seus campi a essa figura indispensável à construção de uma sociedade mais justa, humana e ética: saudamos professores e professoras pelo dia com uma matéria especial, que traz perfis e opiniões de docentes do Instituto sobre sua profissão e sobre os desafios atuais. Desejamos parabéns a cada professor e professora e, também, uma boa leitura a você.

"Ajudar a construir um mundo melhor"

Quando questionada sobre o que fez desejar a carreira docente, responde objetivamente: "Ajudar a construir um mundo melhor". Essa é Viviane Medeiros, docente de Biologia há 20 anos, lecionando no IFRN há 12. Ela destaca que como docente é importante por "poder despertar no outro a curiosidade e incentivar a estudar cada dia mais sobre variados conteúdos. Melhor ainda, ajudar a formar cidadãos cada vez mais conscientes."

Mesmo se considerando muito ativa em suas aulas, relata ter mudado muito sua rotina no modo remoto para se adaptar totalmente ao novo. Quanto às expectativas profissionais para a retomada do ensino presencial, ela diz que são as melhores: "Que possamos viver o novo normal, com a certeza que a aproximação com o nosso aluno é essencial para o seu aprendizado, pois no olhar de cada um podemos ter um feedback do que está sendo aprendido."

"Com educação, você pode ser o que quiser e alcançar seus sonhos"

A possibilidade de ampliar a visão de mundo e as possibilidades. Foi essa perspectiva que fez a professora Beatriz Cavalcante desejar a carreira docente. Professora de Língua Inglesa no Instituto há 13 anos, Bia – como é mais conhecida entre os estudantes – define a profissão como ponte para os sonhos: "É importante ensinar que, com educação, você pode ser o que quiser e alcançar seus sonhos".

Como os demais docentes, "tive que me reinventar e aprender novas metodologias para me adequar o ensino remoto". E não esconde as expectativas de retornar logo para o ensino presencial: "Espero que retomemos as aulas com segurança e confiança de que vai dar certo, pois mesmo diante das dificuldades, sempre somos capazes de aprender  algo novo e nos reinventarmos", conclui.

"Aprender para fazer aprender"

Elialdo Chibério da Silva. Docente há 20 anos, e servidor do Instituto há 13, leciona a disciplina de Eletroeletrônica. Ex-aluno da Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFRN), Chibério escolheu a carreira docente pelo "poder de mediar a transformação do ser. Sinto que contribuo na melhoria do ser social".

Durante o período de ensino remoto, o professor viu sua prática profissional ser alterada em todos os aspectos: "é preciso aprender para mediar o aprendizado; aprender para fazer aprender". Para a retomada do ensino presencial, reforça que é preciso aprimorar o olhar ao novo.


Através desses breves relatos, queremos reforçar a importância de todos os profissionais da educação que diariamente se reinventam para trilhar o caminho do conhecimento junto aos seus estudantes.

Ações do documento

Página em carregamento