Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Rede Federal de Educação alcança um milhão de estudantes
CONIF

Rede Federal de Educação alcança um milhão de estudantes

27/11/2013 - A Rede conta hoje com 459 unidades implantadas

Rede Federal de Educação alcança um milhão de estudantes

O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), realizou nos últimos dias 19 e 20, em Foz do Iguaçu,  a sua 37ª Reunião Plenária.  No encontro foi feito um balanço dos cinco anos de criação dos Institutos Federais, cujas informações encontram-se na nota oficial, elaborada pelos reitores e transcrita abaixo:

..........................................................................................................................................................................................................................................

 

A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica – composta pelos Institutos Federais, Centros Federais e o Colégio Pedro II – conta hoje com 459 unidades implantadas. Ao total, essas instituições contabilizam um milhão de matrículas em cursos de formação inicial e continuada, técnicos, de graduação e pós-graduação. A projeção é alcançar 562 unidades até 2014, o que reforça a consolidação, a expansão e a política de interiorização da Rede.

Este crescimento contrasta com uma recente realidade: em 2003, eram apenas 140 unidades. Atuar em todos os níveis e modalidades da educação profissional e tecnológica, formar professores para a educação básica e desenvolver pesquisa e extensão com excelência são características marcantes das instituições da Rede Federal. O aumento da demanda confirma o reconhecimento da qualidade do ensino. O número de matrículas na educação técnica de nível médio saltou de 77.074, em 2008, para atuais 534.853. Sem abdicar de sua missão e de seu compromisso de fazer educação para a sociedade, com expressiva proposta de inclusão social e formação de cidadãos, participa efetivamente de programas do Governo Federal como o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o Programa Mulheres Mil, o Proeja e a Rede Certific, que vêm transformando a realidade de exclusão de uma significativa parcela de homens e mulheres brasileiros. Além da qualificação profissional, essas iniciativas trazem para dentro dos campi elementos preciosos para pesquisa social e a implantação de políticas estruturantes.

Na educação superior, o último Censo registra a ampliação em 27,6% no total de matrículas, de 2010 para 2012, dado que ganha expressiva importância considerando que, em média, 70% deste aumento ocorreram em municípios do interior, uma vez que 85% dos campi dos Institutos Federais, estrategicamente, estão fora dos centros urbanos e/ou nas periferias. Isso proporciona a estudantes que há pouco tempo não tinham possibilidade de realizar o sonho de um curso superior, em suas regiões, tornarem-se os primeiros jovens da família neste nível de escolaridade e, em muitos casos, se lançarem para além do país, pelo Programa Ciência sem Fronteiras.

O sentido maior do cenário emoldurado por estes dados é a real tradução dos institutos federais que, ousadamente, se colocam na dianteira das políticas educacionais em uma perspectiva inovadora, ampla e socialmente engajada, comprometida com um território e com as pessoas, de Norte a Sul do país. Um compromisso vocacionado para legitimar uma concepção de Educação Profissional e Tecnológica verdadeiramente pública, em favor do homem, do trabalhador e da juventude brasileira.

Plenária da 37ª reunião ordinária do Conif, 19 e 20 de novembro de 2013, em Foz do Iguaçu-PR.

Ações do documento

Página em carregamento