Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Projeto do IFRN é aprovado como um dos melhores do país
Campus Ipanguaçu

Projeto do IFRN é aprovado como um dos melhores do país

16/10/2020 - Proposta qualifica estudantes, associações e cooperativas dos Territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi

Projeto do IFRN é aprovado como um dos melhores do país

Projeto visa contribuir com fortalecimento da Agricultura Familiar e de suas organizações em territórios potiguares

Com o objetivo de selecionar projetos voltados à qualificação técnica de estudantes e recém-egressos de cursos de ciências agrárias e afins, de nível médio e superior, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou o Edital de Chamamento Público n° 01/2020. A Chamada recebeu quase 500 projetos, enviados por instituições de Ensino de todo o país. Um deles, do Campus Ipanguaçu, ficou entre os nove que obtiveram nota máxima. No total, foram 75 projetos aprovados em âmbito nacional.

O Edital de Chamamento Público, intitulado AgroResidência, foi instituído com o objetivo de apoiar a formação de profissionais com as competências necessárias para plena atuação nas áreas de ciências agrárias e áreas correlatas, “por meio de treinamento prático, supervisionado e orientado”. Além de qualificar profissionais, o programa busca desenvolver nos jovens residentes, estudantes ou recém-egressos, o senso de responsabilidade ética, por meio do exercício de atividades profissionais.

Territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi

Em Ipanguaçu, com o título “Qualificação profissional de estudantes e profissionais em gestão de empreendimentos associativos/cooperativos vinculados ao agronegócio da agricultura familiar nos Territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi”, o projeto foi uma construção do Núcleo de Estudos em Agroecologia (NEA).

“A proposta finalista – que obteve nota máxima – foi construída de forma coletiva, com a participação de todos os membros do NEA, mantido pelo nosso Campus”, disse o professor Geraldo Jr., diretor-geral do Campus Ipanguaçu. Segundo ele, o projeto selecionado integra um grupo de quatro propostas que foram enviadas para a seleção do Ministério. Para o professor, além de comemoração, o momento é de expectativa: “A gestão sempre esteve envolvida, seja com a participação efetiva nas reuniões do Núcleo, seja no diálogo com os parceiros. Agora, estamos esperando que, efetivamente, os recursos cheguem ao Campus, nós executemos o projeto e ele alcance seu objetivo, que é fortalecer o processo de ensino-aprendizagem de estudantes egressos do Campus e – eventualmente – de outra instituição que tenha interesse em participar”, declarou.

Responsável pela elaboração da proposta, o professor Paulo Sidney, da disciplina Cooperativismo, falou sobre o resultado: “Nosso projeto visa qualificar profissionalmente estudantes em fase de conclusão de curso. Essa qualificação, na área da Gestão de Empreendimentos Associativos e Cooperativos nos Territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi, terá duração de 24 meses e contará com doze residentes (seis a cada ano)”, explicou. Esses estudantes receberão, no Campus Ipanguaçu, uma complementação à formação teórica, voltada às temáticas Agroecologia, Desenvolvimento Rural Sustentável e Gestão de Empreendimentos na Agricultura Familiar. "Cada professor elaborou sua proposta dentro das linhas de pesquisa trabalhadas pelo NEA. Alguns pontos, como os aspectos metodológicos, foram construídos de forma coletiva, mas a responsabilidade técnica pela elaboração foi de cada um. Inclusive, um dos critérios de avaliação do projeto era o currículo do professor e a pertinência com o conteúdo apresentado no projeto", esclareceu o professor.

Residentes

O edital traz que, para ser residente pelo AgroResidência, é preciso ter entre 15 e 29 anos de idade, ser estudante ou recém-egresso de cursos nas áreas de ciências agrária e afins, de nível médio ou superior, ter cursado todas as disciplinas do curso; egressos deverão ter concluído o curso há, no máximo, 12 meses. No Campus Ipanguaçu, com a implementação do projeto, apenas estudantes em fase final de conclusão de curso superior ou recém-egresso será selecionados, via chamada pública. Essa seleção buscará participantes tanto da unidade quanto de outro campus do IFRN, desde que com atuação nos territórios abrangidos pelo projeto, sendo seis estudantes para 2021 e outros seis no segundo ano, 2022.

Paulo ainda detalhou como as ações serão desenvolvidas: “A primeira turma atuará diretamente nas unidades residentes, realizando avaliações nos empreendimentos, geralmente associações e cooperativas. Lá também farão planos de ação com vistas a melhorias de gestão desses empreendimentos.” O professor acrescentou ainda que essas melhorias compreendem tanto aspectos societários como gerenciais e que, com base nessas avaliações, serão implementados programas de capacitação voltados aos dirigentes dos empreendimentos envolvidos. A segunda equipe ficará responsável pela implantação dos planos de ação nas unidades residentes, visando a melhoria da gestão das iniciativas assessoradas.

As Unidades Residentes são fazendas ou unidades de produção, empresas do agronegócio, cooperativas, empresas de assistência técnica, nacionais ou internacionais, da administração direta e indireta, e a sociedade civil organizada onde serão realizadas as atividades. Informações sobre bolsas e demais pré-requisitos podem ser obtidas no Edital do Mapa.

Parcerias

“O projeto tem, ainda, um viés acadêmico, fruto dessa inserção: faremos artigos científicos onde serão divulgados os resultados dessa experiência em âmbito regional e nacional e produziremos também uma publicação voltada para a área da gestão desses empreendimentos coletivos solidários que nós estamos trabalhando. Será uma cartilha que visa fornecer e complementar informações para os dirigentes dos empreendimentos assessorados”, finalizou Paulo Sidney.

O projeto selecionado já tem parceria com algumas cooperativas e órgãos públicos:

  • Associação de Comercialização Solidária Xique Xique;
  • Cooperativa de Comercialização Solidária Xique Xique (Cooperxique);
  • Cooperativa Potiguar de Apicultura e Desenvolvimento Rural Sustentável (Coopapi);
  • Federação de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Rio Grande do Norte – Federação UNICAFES;
  • Associação Renascer dos Artesãos da Carnaúba (Assentamento Pedro Ezequiel);
  • Cooperativa de Produtores do Assentamento Novo Pingos (Coopingos);
  • Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Norte (Emater/RN).

Acesse

Edital de Chamamento Público n° 01/2020

Lista com os projetos aprovados

Ações do documento

Página em carregamento