Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Plano de Ação da gestão pro-tempore é analisado por conselheiros
Consup

Plano de Ação da gestão pro-tempore é analisado por conselheiros

02/06/2020 - Documento precisará ser alterado e apresentado para votação em nova reunião

Plano de Ação da gestão pro-tempore é analisado por conselheiros

Na última sexta-feira (29), o Conselho Superior do IFRN (Consup) realizou duas reuniões. A primeira, que estava prevista no calendário de reuniões ordinárias do Conselho, foi relativa à pauta encaminhada pelo presidente do Conselho, o reitor pro-tempore do IFRN, Josué Moreira. A pauta se tratava do Plano de Ação da gestão pro-tempore.

Josué se apresentou e elencou as ações pretendidas durante a sua gestão, como implantação de almoxarifado virtual, centralização de compras e contratações, instalação de gestão de risco e manuais para tomadas de decisão, além de ensino híbrido entre presencial e a distância. Defendeu como orientadores os preceitos de eficiência, transparência e desburocratização.

Após concluir sua apresentação, foi aberto o espaço para questionamentos e falas dos conselheiros. A conselheira Luciana Santos, representante dos professores, destacou que as ações elencadas não condizem com os princípios e as práticas pedagógicas estabelecidos nos documentos normativos, como o Projeto Político Pedagógico (PPP) e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).

O conselheiro Flávio Ferreira, representante do Codir, pontuou: “está mais próximo de um plano de ação de campanha e não de um plano de gestão. Tem de pensar para hoje. Há um conflito de interesse. O Plano de Ação do candidato Ribeiro [que concorreu às eleições para reitor do IFRN em dezembro de 2019 e recebeu 3% dos votos] não foi validado pela comunidade”.

O conselheiro Andreilson Oliveira, também representante do Codir, interrogou sobre a ausência de referência ao Plano de Atividades dos campi. A conselheira Samira Delgado, que também integra o Codir, analisou a proposta como “distante da própria realidade do IFRN, como se houvesse um desconhecimento com a Instituição. Insipiente a forma com que foi tratado o ensino. A arte e a cultura foram praticamente ignorados”. O reitor pro-tempore solicitou que ela enviasse suas contribuições e declarou: “apenas colocamos nesse plano de atividades algumas coisas que a gente acha importante sobre a nossa Instituição”.

O conselheiro Rafael Siqueira, representante dos docentes, exigiu que fosse excluída a declaração de que as instituições de ensino no país propagam posições ideológicas e destacou ainda que o reitor pro-tempore: “não apresentou nenhuma proposta concreta de atender nossos alunos”. Os conselheiros avaliaram o Plano como incompleto e insuficiente. Após a sabatina, o reitor pro-tempore destacou que construiu no plano o pensamento dele sobre o que é a gestão e destacou que "talvez no Codir haja algo para acrescentar. É nessa linha que estamos trabalhando”.

O conselheiro Lucas Felipe Carlos do Nascimento, representante dos estudantes, pontuou situação em que membros da Rede de Grêmios do IFRN (Regif) não foram recebidos no Gabinete para conversa. Falou ainda de um Ofício encaminhado por ele ao Gabinete da Reitoria o qual não foi recebido. O reitor pro-tempore interrompeu o conselheiro alegando que ele tratava a respeito de um ponto que não estava na pauta.

Os conselheiros destacaram ainda o fato de que só tiveram acesso ao documento durante a reunião e criticaram a nova forma de debate das questões implementadas pelo Prof. Josué durante as reuniões. A conselheira Dália Maia, representante dos servidores técnicos-administrativos, posicionou-se: “pareceu-me desrespeitoso a gente ter acesso a esse documento vários minutos depois de iniciada a reunião. Este Conselho não pode discutir pauta alguma de uma forma superficial, ainda mais esta, que exige uma discussão muito mais profunda. As interrupções do presidente não respeitam as falas dos colegas. Jamais vi isso acontecer na nossa Instituição”.

Após uma extensa discussão sobre a necessidade ou não de aprovação do Plano, por estar na pauta antecedido da palavra “Apresentação”, foi decidido que o documento passará por uma atualização para ser apresentado em reunião posterior que deve acontecer no dia 5 de junho.

Ao final do encontro, durante os informes, a conselheira Emiliana Souza Soares, representante dos professores, realizou a leitura de um relato enviado pelos servidores da Reitoria. O texto apresentava os sentimentos das equipes com a instabilidade administrativa instaurada na Instituição, citando ausência de gestores, falta de diálogo e interrupções nos encaminhamentos de processos.

Ao final da leitura, o reitor pro-tempore declarou: "essa linha política, retórica não condiz com a verdade vivenciada na Reitoria. Todos estão atuando. Segue a Instituição, seguindo seu destino, com suas atribuições sendo desenvolvidas, apesar do momento histórico que estamos vivenciando com a Covid-19”. Sobre os cargos vagos em funções de gestão, Josué Moreira explicou que em breve será feito convite à comunidade para assumir as posições. "Caso não haja interesse, virão pessoas externas", completou.

 

A segunda reunião, convocada de forma extraordinária para o período da tarde, foi para a discussão de pautas enviadas pelo grupo de conselheiros.

Ações do documento

Tags: , ,
Página em carregamento