Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / O poder do clique: a economia digital encurta distâncias e cresce
E-commerce

O poder do clique: a economia digital encurta distâncias e cresce

08/12/2020 - Reportagem especial foi replicada da página do Campus Natal-Central do IFRN

O poder do clique: a economia digital encurta distâncias e cresce

"Hoje se compra e vende do mundo todo com a distância de um clique”

Por Romana Alves, do Campus Natal-Central 

 

Produtos, prateleiras, etiquetas, filas, aglomeração, um cenário bem familiar ao comércio. Sair para comprar é um hábito comum aos brasileiros. Ou era. Com a correria da vida cotidiana e a pandemia da Covid-19, o e-commerce tornou-se a "menina dos olhos" da economia. “Essa tendência de crescimento decorre de vantagens como: conveniência de comprar sem sair de casa, maior diversidade de produtos disponíveis, diversos métodos de pagamento, acesso a produtos de longa distância, flexibilidade de horário, dentre outras”, disse a professora do Campus Natal-Central do IFRN, Marli Tacconi. Praticidade, economia, acessibilidade, variedade, tudo ao alcance de um clique.

Clique que atrai consumidores e empreendedores em uma realidade virtual cada vez mais presente na vida contemporânea. Com esse olhar empreendedor, Alessandro Gomes Santos e Silas Dantas Arruda, sócios na empresa Fly Tecnologia, da Incubadora Tecnológica do Campus Natal-Central do IFRN (ITCN-CNAT-IFRN), viram, no mercado on-line, uma oportunidade para negócio: “A empresa Fly Tecnologia é uma empresa especializada em soluções para o e-commerce. Nós entregamos desde consultoria estratégica para operações até o desenvolvimento da plataforma e aplicativos para atender às vendas on-line”.

Vendas virtuais que só crescem e cuja tendência de ascensão é irreversível. Segundo a professora de Marketing e Logística do Campus Natal-Central do IFRN, Marli Tacconi, há vários fatores associados ao crescimento do e-commerce em 2020: “O e-commerce já era uma tendência mundial, que se ampliou com a pandemia. Um aspecto importante para uma comercialização on-line efetiva é uma logística eficiente, porque o e-commerce é essencialmente movimentação e armazenagem. Se não consigo armazenar e nem movimentar, não consigo vender. E hoje se compra e vende do mundo todo, com a distância de um clique”.

Distância que, com o isolamento imposto pelo Coronavírus, impulsionou a busca pelas atrativas compras on-line. Segundo Tacconi, a pandemia trouxe ânimo a esse mercado: “O E-Commerce Brasil verificou que o comércio eletrônico, em 2020, cresceu 56,8% no nosso país, quando comparado com os oito primeiros meses de 2019, movimentando R$ 105,6 bilhões, demonstrando a força dessa modalidade na geração de renda e empregos, especialmente para o atual período em que vivemos”.

Período de oportunidade e desafios 

Segundo o empresário Alessandro Santos, “A pandemia trouxe uma busca de mais lojistas pela plataforma, que está na fase inicial, e um aumento de acesso de clientes buscando comprar os produtos de forma on-line. Percebemos uma aceleração no interesse dos lojistas do Alecrim com o mercado on-line. O Alecrim é o maior centro comercial do RN, com lojas com mais de 50 anos de tradição, e que está agora no desenvolvimento de sua presença digital. Nós, do Alecrim na Web, estamos apoiando e testando soluções que possam atender às necessidades desse mercado popular”.

Mercado que se populariza cada vez mais na internet, ocupando espaços nas redes sociais, nos sites e plataformas de compra e venda, além do uso estratégico de aplicativos de comunicação como WhatsApp. De acordo com o empreendedor Alessandro Santos, a iniciativa “Alecrim na Web” é um projeto que tem o apoio da ITNC, em parceria com o Sebrae RN: “O Alecrim na Web é um site colaborativo, atuando apenas como facilitador ao público em geral, para divulgação de produtos e ofertas do Alecrim. Cada lojista tem uma área de gestão na qual faz os cadastros dos produtos e a gestão de ofertas e marketing. Os produtos são expostos por categoria e por lojas do Alecrim, e o cliente tem acesso direto àquela oferta com o lojista via WhatsApp”.

Organização e comunicação que são imprescindíveis ao bom funcionamento do negócio. Mais ainda no que se refere ao e-commerce, no qual é preciso trazer o diferencial à experiência de compra. Segundo a professora Marli Tacconi, especialista na área, é uma “oportunidade de se reinventar, na qual as empresas, independentemente do porte, pensam em agregar valor e não apenas em entregar bens e serviços, compreendendo a experiência de compra como um todo no qual a logística é essencial”, explica ela.

Produção e armazenagem

Logística que abrange a entrega como fator-chave, mas passa também pela produção e armazenagem. É necessário que todos os envolvidos - lojistas e parceiros - falem a mesma língua. De acordo com o empresário Alessandro Santos, a entrega é decisiva para a logística do comércio on-line: “O lojista finaliza a venda com um link de pagamento, e nós fazemos a entrega, que é solicitada pelo lojista logo após o fechamento da venda. Pelo site, ele mesmo pede e realizamos a coleta e a entrega da mercadoria, seja por moto, carro ou caminhão”.

Uma parceria de muitas frentes que viabilizou a entrada da empresa “M Impressões” no mercado on-line: “Normalmente, os pedidos da e-commerce são organizados com a Fly, e a demanda das entregas e a produção ficam a cargo da equipe da “M Impressões”. É organizar tudo para deixar pronto para a empresa de entrega do Alecrim na Web despachar”, disse o empresário Matheus Felipe, cliente da Fly Tecnologia.

Rotina que ocorre acompanhada de estratégia, organização e planejamento, mas que também enfrenta desafios externos e exige investimentos em logística. “A logística 4.0 está se beneficiando das diversas vantagens que essas tecnologias proporcionam aos processos na cadeia de abastecimento. É exatamente por isso que as maiores tendências para os próximos anos são a robótica e a inteligência artificial, para operacionalizar serviços logísticos em larga escala. As vantagens são muitas, desde reduzir os riscos de contaminação, dos erros e do retrabalho, armazenagem mais eficiente, melhor uso dos espaços, maior produtividade e maior acurácia em estoque e no processo de picking, dentre outros”, explica a professora.

Dessa forma, a sociedade se reinventa, criando estratégias para driblar as dificuldades e impulsionando a economia, mesmo em tempos de crise. E, assim, o comércio, atividade das mais antigas da civilização, navega muito além das águas de outrora.

Confira na íntegra a entrevista da professora do Campus Natal-Central e conheça mais detalhes sobre o e-commerce.

Ações do documento

Página em carregamento