Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / O Ensino, a Pesquisa e a Extensão em Um Ano de trabalho remoto
Distanciamento Social

O Ensino, a Pesquisa e a Extensão em Um Ano de trabalho remoto

01/04/2021 - Ações desenvolvidas mobilizaram - mesmo de casa - servidores e estudantes

O Ensino, a Pesquisa e a Extensão em Um Ano de trabalho remoto

Instituto mantém-se ativo em sua base acadêmica

Por Clara Bezerra e Cleyton Fernandes

Dando sequência à divulgação de conteúdos relacionados às ações desenvolvidas no IFRN neste Um Ano de Distanciamento Social e trabalho remoto, trazemos mais uma matéria, relacionadas ao:

Ensino, Pesquisa e Extensão

O tripé educacional do IFRN esteve à frente de dezenas de ações que elevam o status de referência do Instituto perante à sociedade. Além da realização de 425 eventos no formato on-line, como conferências, simpósios, mesas-redondas e encontros temáticos. Os destaques foram o I Simpósio On-line de Educação, realizado pelo Campus Ipanguaçu, com público de 33 mil pessoas, a Solenidade de posse do reitor do IFRN e apresentação da equipe gestora sistêmica e dos diretores-gerais dos campi, com público de 3.700 pessoas, e a Mostra de Cursos do IFRN, com público de 6.695 pessoas, os dois últimos realizados pela Assessoria de Comunicação Social e Eventos da Reitoria (Asce).

Houve também a participação vitoriosa de estudantes em feiras e olimpíadas do conhecimento, como a Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) e a Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace). As ações sob coordenação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (Propi) enumeram aproximadamente 500 projetos de pesquisa em execução e o depósito de 13 softwares e quatro patentes, além do estabelecimento de três transferências de tecnologia com empresas. Informações da Diretoria de Inovação Tecnológica do Instituto apontam 34 empresas vinculadas às Incubadoras Tecnológicas dos campi Natal-Central (11), Mossoró (4), Currais Novos (6), Pau dos Ferros (3), Zona-Norte (1), Natal Cidade Alta (3) e São Gonçalo do Amarante (6).

Pela Pró-Reitoria de Extensão, há acordos vigentes com três instituições de ensino portuguesas – Instituto Politécnico da Guarda, Universidade de Coimbra e Universidade de Lisboa; três vigentes e em processo de renovação (com ampliação de atividades): Universidade do Minho (Portugal), Universidade de Montpellier (França) e AFS, empresa internacional de intercâmbio de estudantes. Há, ainda, acordos em processo de celebração, com a Universidade de Almería (Espanha), a Universidade de Boras (Suécia), a Universidade de Buenos Aires (Argentina) e a Universidade Pedagógica Nacional (Colômbia).

A Proex e o IFRN, na intenção de dar continuidade ao Programa Nacional Mulheres Mil, mantiveram em 2020 quatro projetos em quatro campi: Trabalho, Mulheres, Artes e Sustentabilidade (Tramas), do Campus Santa Cruz; Artesã em bordado à mão, do Campus Natal-Zona Norte; Cuidador de Idoso 2020, do Campus Natal-Central, e Bordado à Mão Livre, do Campus Cidade Alta.

Caicó, Canguaretama, Ceará Mirim, Ipanguaçu, João Câmara, Lajes, Macau, Natal-Central, Natal-Zona Norte e São Paulo do Potengi. Esses doze campi estão envolvidos em ações que, sob coordenação da Proex, integram atividades da Incubadora Tecnológica para o Fortalecimento dos Empreendimentos Econômicos Solidários do IFRN – a IFSol. Em 2020 houve Diagnóstico, Capacitação, Formação, Acompanhamento e Oficinas, entre outros.

Recursos externos

Além disso, muitos projetos foram aprovados e começaram a ser executados. Um destaque foi o IF-Maker. Através de Edital da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC), três campi do IFRN tiveram projetos aprovados – Canguaretama, Ipanguaçu e Natal-Central. Cada projeto implementará ações para diferentes atividades e setores, considerando os pilares Ensino, Pesquisa e Extensão, como Cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC), fabricação de peças para laboratórios, desenvolvimento de pesquisas, produção de materiais didáticos, entre outras. Através destes laboratórios, denominados “Lab IF Maker”, estudantes poderão contar, por exemplo, com equipamentos como impressoras 3D e kits de robótica.

Em outras ações com captação de recursos externos, os campi Caicó, Ipanguaçu, Natal-Central, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante iniciaram a execução de projetos voltados à resolução direta de problemas sociais. Junto a órgãos como o Ministério da Economia, Ministério da Educação, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), os recursos capitaneados para isso foram de R$ 7.224.683,15. Veja lista abaixo:

Ações do documento

Página em carregamento