Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / IFRN promoverá curso de robótica descomplicada para alunos da rede Estadual e Municipal
EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

IFRN promoverá curso de robótica descomplicada para alunos da rede Estadual e Municipal

05/02/2021 - Iniciativa – fruto de projeto aprovado junto ao MEC – busca estimular o desenvolvimento de habilidades em eletricidade e eletrônica, entre outros

IFRN promoverá curso de robótica descomplicada para alunos da rede Estadual e Municipal

R$ 53.666,67 serão destinados para a aquisição de materiais para equipar o laboratório Maker no campus SGA

Já pensou se, do lado da sua casa, uma escola começasse a oferecer cursos na área tecnológica, tratando de temas como robótica, internet das coisas, eletricidade, eletrônica e automação? Para a comunidade do município de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal, isso será uma realidade: uma ação de docentes do Instituto Federal do Rio Grande do Norte promete desenvolver tecnologias digitais junto a estudantes da rede estadual e municipal.

O projeto Na trilha da Economia 4.0: robótica descomplicada e IoT para estudantes do 8º ano ao ensino médio tem o objetivo de ‘estimular o desenvolvimento de habilidades, a partir da oferta de oficinas de eletricidade, eletrônica, automação com arduino, e Internet das Coisas (IoT - Internet of Things, no original em inglês)’, diz a ementa. O público-alvo são estudantes do 8º ano do ensino fundamental ao ensino médio técnico do Centro Municipal de Ensino Fundamental Dom Joaquim de Almeida, Centro Estadual de Educação Profissional Dr. Ruy Pereira dos Santos e Escola Estadual Élia de Barros, em São Gonçalo do Amarante.

Recursos

“São mais de R$123 mil, recursos do Ministério da Educação (MEC), geridos pelo Instituto Federal do Espírito Santo (IFES). Tudo será investido no projeto que, idealizado por quatro professores do Campus SGA, foi aprovado em edital nacional e terá duração de 24 meses. Desse total, R$ 53.666,67 serão destinados para a aquisição de materiais para equipar o laboratório Maker no campus SGA e R$ 70.000,00 para pagamento de bolsas para alunos, coordenador e multiplicadores”, detalhou Marcella de Sá Leitão, uma das docentes envolvidas, junto a Veruska Kelly Gomes Rocha Avelino, Fábio da Silva Franco, Renato Marinho Brandão Santos e Sidney Rocha Gomes

O projeto

O projeto teve início no dia 15 de dezembro de 2020, com a preparação da equipe, montagem e elaboração do material didático, voltado para a capacitação discente. A proposta prevê o início das oficinas presenciais para junho de 2021. “No entanto, vivenciando ainda uma pandemia da Covid-19, está aberta a possibilidade de migrarmos essas oficinas para um formato remoto”, disse Marcella. Ainda assim, como o projeto se estende até dezembro de 2022, os organizadores acreditam que parte das oficinas serão feita de forma presencial até lá. 

Segundo informações da professora, um dos diferenciais do projeto é a utilização de metodologias ativas de ensino nas oficinas, como Flipped Classroom, Peer to Peer e utilização da metodologia Problem Based Learning. "Com o desenvolvimento desse projeto voltado a Economia 4.0, teremos mais uma oportunidade dos nossos discentes do IFRN/Campus SGA, juntamente com a equipe de professores, levar a outras escolas da rede pública a iniciação e extensão tecnológicas, a partir de cursos de Capacitação, Oficinas e Confecção de protótipos na plataforma Arduino Uno. Esse projeto será desenvolvido nos ambientes do próprio Campus, tais como: no Laboratório de Metodologias Ativas e no Laboratório Maker. Proporcionando com isso, a parceria entre o IFRN e as Secretarias de Educação envolvidas no projeto", destacou a professora Veruska. O projeto utilizará a metodologia ativa, com o apoio de oficinas de eletricidade, eletrônica e IoT; durante a execução do cronograma do projeto, serão expostas problemáticas do dia-a-dia para que sejam criadas soluções aos problemas e, ao final do curso, surjam propostas de projeto e prototipagem no laboratório Maker.

Seleção

Para a seleção de estudantes, o projeto prevê a função de multiplicadores tanto do Estado quanto do Município, por intermédio das secretarias de educação. “O trabalho desses multiplicadores será essencial, pois conduzirão a seleção de estudantes e, ao longo da execução do projeto, serão o elo entre o IFRN e as escolas beneficiadas”, esclareceu o professor Renato. A professora Marcella, por sua vez, destacou que os critérios de seleção serão postos pelas secretarias e deverão levar em conta desempenho acadêmico e afinidade com a área. “Estudantes bolsistas do Campus São Gonçalo do Amarante também foram indicados no período de submissão. A escolha deles estava em um dos critérios de pontuação, na seleção da equipe de professores que ficaria à frente do projeto", explicou. 

Robótica

Para o professor Fábio Franco, o ensino da Robótica tem um poder transformador: “é um processo de aprendizagem em que crianças e jovens passam a se dedicar com afinco para conseguir programar e desenhar robôs. Em pouco tempo, é nítida a melhora no desempenho em todas as matérias e um interesse maior pelas áreas ligadas à tecnologia. Estimula competências fundamentais para o mercado de trabalho, como espírito investigativo, trabalho em equipe, planejamento, cooperação, diálogo, pesquisa e tomada de decisões”, disse. Segundo ele, contudo, a robótica está fomentando novas gerações de engenheiros e pesquisadores, indo além da programação de robôs: “É incentivar jovens a pensar de forma criativa, eficiente, lúdica e prática a fim de resolver os problemas gerados pelo que foi estudado em sala de aula, integrando os conteúdos de Física, Química, Biologia e Matemática, pois a importância do ensino de programação e robótica já pode ser comparada ao ensino de outras línguas, como o inglês e o espanhol”, finalizou.

Ações do documento

Página em carregamento