Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / IFRN integra reunião da Câmara Setorial da Indústria
desenvolvimento

IFRN integra reunião da Câmara Setorial da Indústria

14/02/2020 - Entre os pontos de pauta: produção agrícola, custos do deslocamento aéreo e as potencialidades minerais do RN

IFRN integra reunião da Câmara Setorial da Indústria

IFRN tem assento na Câmara Setorial de Indústria

Realizada na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec), a abertura dos trabalhos 2020 da Câmara Setorial da Indústria contou com a presença do IFRN. A reunião contou com lideranças do setor industrial que integram a Câmara, entre elas, a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern), Sindicato das Indústrias de Construção Civil (Sinduscon) do Rio Grande do Norte, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e foi conduzida pelo titular da Sedec, Jaime Calado.

Os principais temas da reunião foram o início do ano e as preocupações com os custos do deslocamento aéreo no estado – com suas consequências para o escoamento da produção. Ainda se discutiu o valor agregado aos produtos agrícolas e as potencialidades minerais do estado. A questão mineral levou à menção ao Centro de Tecnologia Mineral José Yvan Pereira Leite do IFRN.

“Entre tantas instituições, o IFRN tem sido aquela que mais tem estado sintonizada com o que pensamos e temos visto sobre desenvolvimento no Governo do Estado”, disse Jaime Calado. Como exemplo de êxito nas ações institucionais do IFRN, o secretário citou projetos mantido pelo Instituto no Seridó: “tem [em Currais Novos] essa maravilha que é o Centro de Tecnologia Mineral e o Centro Tecnológico do Queijo (CTq): só isso já mostra ao empresariado – que tem de ir lá e ver – que o desenvolvimento e o avanço têm de estar aliado à Pesquisa e à Inovação”. Jaime Calado ainda destacou a capilaridade do IFRN no estado, por sua presença física em 18 municípios.

Em sua fala, o reitor do IFRN, professor Wyllys Farkatt, destacou o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo governo do RN e trouxe uma novidade: “o empenho do governo estadual em ações que impulsionam o desenvolvimento do Rio Grande do norte – em seus vários seguimentos sociais – é um fato incontestável, algo que se deve referenciar, inclusive. Algumas parcerias são importantes e outras são muito importantes. O nosso CT Mineral, através de recursos recebidos por emenda da bancada federal e de emenda parlamentar da senadora Zenaide Maia, vai expandir sua área de atuação. Lá vai ser criado um Centro de Certificação e Lapidação de Gemas. Isso é inovador! Atualmente, por exemplo, a turmalina produzida em Parelhas é certificada na Colômbia. Certificar no nosso centro, além de diminuir custos, vai agregar valor as nossas riquezas minerais”, anunciou o reitor.

Câmaras

As Câmaras Setoriais são fóruns permanentes de discussão entre os membros (agentes públicos e privados), que visam definir ações de interesse comum, através da atuação integrada dos diferentes segmentos produtivos. Essa iniciativa, proposta pelo governo estadual, busca atuar na criação de ambientes favoráveis às atividades produtivas, dando segurança jurídica e patrimonial e favorecendo à criação de oportunidades de trabalho, emprego, renda e riqueza. As atividades da Câmara envolvem a identificação e análise dos gargalos impeditivos ao setor, a elaboração de propostas prioritárias, a implantação e acompanhamento de projetos e a facilitação dos mecanismos de governança.

Instaurada através de portaria, a Câmara Setorial da Indústria têm como membros, além do IFRN, a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern), a Associação Industrial e Comercial de Mossoró (Acim), a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Caicó (Asisc) e a Associação das Empresas do Polo Industrial de Macaíba (Aspim), Sebrae, Sindicato das Indústrias de Construção Civil (Sinduscon) do Rio Grande do Norte, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o Banco do Nordeste, a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern) e a Associação da Indústria do Rio Grande do Norte (Aspirn).

Ações do documento

Página em carregamento