Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / IFRN e Incra desenvolvem projetos em assentamentos do RN
parceria

IFRN e Incra desenvolvem projetos em assentamentos do RN

03/02/2021 - Parceria conta com apoio da Funcern e visa melhorar a economia, a exportação de produtos e o turismo no estado. 22 mil famílias serão beneficiadas

IFRN e Incra desenvolvem projetos em assentamentos do RN

Recursos captados se aproximam dos R$ 5 milhões

Por Luciano Vagno

O IFRN e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) iniciaram, em janeiro de 2021, os projetos 'GeoRural Incra/RN' e 'Pratu Incra/RN'. A parceria conta ainda com a cooperação da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (Funcern).

As articulações para o desenvolvimento dos projetos tiveram início em novembro de 2020, quando o IFRN, juntamente com a Funcern, foi procurado pelo superintendente do Incra/RN, Marcelo Gurgel. Cerca de 22 mil famílias registradas nos 286 projetos de assentamentos do estado e que são acompanhadas pelo Incra serão beneficiadas pelos projetos. "Além do estímulo às famílias nos assentamentos, a iniciativa busca contribuir para o desenvolvimento econômico local, para a exportação dos produtos e para o turismo", disse o professor Melquíades Pereira, diretor de Extensão do Campus Natal-Central (Cnat).

GeoRural INCRA/RN

O projeto objetiva realizar a demarcação dos lotes pertencentes aos assentamentos indicados pelo Incra por meio de georreferenciamento e certificação da terra para o assentamento e posterior inserção dos dados no Cadastro Ambiental Rural (CAR) – registro público eletrônico obrigatório, que integra as informações ambientais das propriedades e posses rurais de Áreas de Preservação Permanentes (APP). Segundo Melquíades, a realização do GeoRural deve atender às diretrizes de políticas públicas de interesse social, bem como todos os pré-requisitos legais, além de tornar possíveis as condições materiais para sua sustentabilidade. "Para a realização do projeto, haverá a contratação de uma equipe técnica qualificada para atuar na área, na infraestrutura de deslocamento, nos equipamentos e sua manutenção, além de serviços técnicos específicos para a coleta de dados", destacou o professor. O projeto conta com mais de R$ 2,4 milhões de reais em recursos para execução.

Pratu INCRA/RN

Desenvolver uma Central de Capacitação e Comercialização de Produtos Provenientes dos Assentamentos, visando melhorar a economia do RN. É esse o resumo da iniciativa Pratu, em que serão articuladas ações de Ensino, Pesquisa e Extensão. "Através do Projeto, serão explorados os potenciais de produção de cada assentamento, como a produção de ovos, horta e leite e a criação de animais, como aves, peixes e bovinos Outras metas traçadas são a capacitação dos moradores dos assentamentos por meio de minicursos, o planejamento de uma rede de comercialização, o desenvolvimento de uma infraestrutura personalizada para a venda dos produtos e de um selo de referência, a elaboração de um restaurante, no bairro Ribeira, em Natal, entre outras", disse ainda Melquíades. O recurso destinado ao Projeto é de R$ 2,5 milhões.

Para a coordenadora do Pratu Incra/RN, professora Lúcia de Fátima Lúcio, o projeto “é uma relevante ação para a economia potiguar, pois atinge diretamente áreas importantes, como a agricultura familiar, o turismo, o comércio e a educação”. E pontua, dizendo: “É, sem sombra de dúvidas, um desafio com potencial de grande impacto social”.

Sobre a cooperação entre o IFRN e o Incra, o diretor de Extensão do Cnat pontua: “É com grande alegria que iniciamos 2021 com o pé direito. O Projeto Pratu Incra/RN torna possível fomentar a economia, o turismo e a exportação do RN. O Projeto GeoRural possibilita darmos uma grande contribuição social aos assentamentos”. O diretor destaca como mais importante o fato de que as ações realizadas serão desenvolvidas pelos estudantes, através de bolsas de Pesquisa e Extensão – cujos editais para inscrições serão publicados ainda em fevereiro de 2021, por meio do Portal do IFRN.

Ações do documento

Página em carregamento