Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Cortes orçamentários no IFRN contabilizam mais de R$ 8 milhões
Gestão

Cortes orçamentários no IFRN contabilizam mais de R$ 8 milhões

06/10/2022 - A Instituição encara o impacto de cortes de mais de 9% do valor do ano

Cortes orçamentários no IFRN contabilizam mais de R$ 8 milhões

No último dia 5 de outubro, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) foi surpreendido com um corte orçamentário no valor de R$ 2.291.735,49. Esse valor corresponde aproximadamente ao orçamento anual de funcionamento do segundo maior campus do Instituto, o Campus Mossoró, que atende hoje a 2.072 estudantes efetivamente matriculados. Em junho de 2022, o IFRN já havia sofrido um corte orçamentário de R$ 6.474.295,00. Esse é o valor aproximado do orçamento anual de funcionamento do Campus Natal-Central, o maior campus do Instituto, que tem 6.343 estudantes matriculados. 

Só neste ano, já são R$ 8.766.030,49 em perdas orçamentárias - 9,74% a menos do orçamento inicial do ano, que era de R$ 90.015.674,00. Esse valor é utilizado para todo o funcionamento e manutenção dos 22 campi, como também para o atendimento estudantil e viabilização das ações de ensino, pesquisa e extensão.

O reitor do IFRN, professor José Arnóbio, explica que tais perdas trazem um impacto dramático para as atividades institucionais, “comprometendo sobremaneira as ações de assistência estudantil (merenda escolar, auxílio transporte, bolsas de trabalho), de ensino (aulas de campo, visitas técnicas), de pesquisa e extensão (compra de insumos, fomento de projetos), bem como as despesas administrativas (contratos de terceirizados, água, energia)”. Para o pró-reitor de Administração, Juscelino Cardoso, “há uma grande angústia dos gestores do IFRN em não conseguir honrar os compromissos assumidos”. 

As Pró-Reitorias de Administração e de Planejamento e Desenvolvimento Institucional convocaram uma reunião do Grupo de Trabalho de Orçamento do IFRN (GTOR/IFRN) para a segunda-feira (10). Em seguida, a situação será discutida entre todos os gestores do Colégio de Dirigentes (Codir/IFRN). De acordo com a pró-reitora de Planejamento, professora Antônia Silva, “o objetivo é discutir onde a supressão vai causar menos danos aos estudante, resguardando ao máximo as atividades acadêmicas. Inevitavelmente, a assistência estudantil e o fomento de projetos de pesquisa e extensão estão comprometidos”.

O reitor do IFRN explica que é imprescindível a recomposição dos valores cortados a fim de que a Instituição possa dar continuidade ao trabalho de Ensino, Pesquisa e Extensão de qualidade, com o atendimento direto a 31.183 estudantes regularmente matriculados em todo o estado e milhares de outros cidadãos através de Cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) e do desenvolvimento de projetos de Extensão.

Ações do documento

Página em carregamento