Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Comitê de Ensino discute retorno remoto
Coen

Comitê de Ensino discute retorno remoto

06/08/2020 - Gestores acadêmicos trataram de datas e da formação de comissões

Comitê de Ensino discute retorno remoto

Comitê é formado por gestores da Pró-Reitoria de Ensino e por diretores e diretoras acadêmicas dos campi.

Em reunião extraordinária, o Comitê de Ensino do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (Coen/IFRN) tinha como pauta três pontos de discussão:

  • Retorno às aulas, de forma remota;
  • Nomeação de comissões para a construção de calendário acadêmico e para discussão de estratégias de retorno; e
  • Ferramentas disponíveis para o ensino remoto.

Realizado, via Teams, na tarde da última quarta (5), o encontro contou com a presença do reitor pro tempore do IFRN, professor Josué Moreira, e do diretor de Gestão da Tecnologia da Informação, Charles Freitas, além dos membros do Coen: gestores da Pró-Reitoria de Ensino e diretores e diretoras acadêmicas dos campi.

Citando o Regimento Geral do IFRN, o pró-reitor de Ensino, professor José Ribeiro, passou a presidência da reunião ao professor Josué. Logo após, foi lida a ata da reunião anterior do Comitê, aprovada com ressalvas. Ressalvas estas apontadas por Leonardo Duarte e Gilmara Freire, das Diretorias Acadêmicas dos campi Currais Novos e Santa Cruz, respectivamente.

Orientação sistêmica

Na abertura da discussão do primeiro ponto de pauta, Josué Moreira destacou, aos diretores e diretoras acadêmicas presentes à reunião virtual, a importância da decisão que esperava do Comitê: “os senhores e as senhoras estão representando cada campus. A decisão tomada será entendida de forma coletiva, pois acredito que a representação deste Comitê tem a total confiança do diretor-geral e da comunidade acadêmica que está representando”, disse. A resposta da gestão acadêmica dos campi veio em forma de ponderação sobre a urgência e precedência em se definir as comissões de trabalho para o calendário e para as estratégias de retorno antes de se apontar uma data específica para retomada das atividades acadêmicas. Outro ponto abordado foi a natureza consultiva – e não deliberativa do Comitê: “Não cabe ao Coen tomar decisões. Ainda que nós possamos indicar um caminho, isso precisa ser dialogado com a comunidade de cada campus, pois temos realidades diferentes em cada um dos 22 campi”, alertou Gilmara. A diretora acadêmica do Campus Ipanguaçu, Luciana Medeiros, fez coro o que disse sua colega: “todos queremos o retorno, mas de modo organizado e com a devida orientação sistêmica. Para isso, julgamos que é menos importante definir uma data e muito mais funcional e prático sabermos como serão conduzidas questões como capacitação docente, o modelo do calendário e a atenção às questões de conectividade de estudantes”.

O reitor pro tempore, então paralisou os posicionamentos e apontou uma votação sobre datas para retorno, indicando – como sugestão dos membros do Coen – cinco opções possíveis: 31 de agosto, 21 de setembro, 28 de setembro. A 4ª opção era por uma data indefinida e a 5ª, para quem decidisse se abster de votar. Como resultado: 15 abstenções (soba a alegação de que não cabe ao Comitê deliberar e sim ao Consup), sete representantes votaram numa data indefinida, quatro votos foram dados à proposta do dia 31 de agosto, dois votos para o retorno em 21 de setembro; ninguém votou na proposta do dia do 28/9. O encaminhamento do presidente da reunião foi de levar a votação para conhecimento do Colégio de Dirigentes (Codir) e do Conselho Superior (Consup), que teriam proposto a discussão do tema no Coen.

Comissões

Partindo para a pauta de Formação das Comissões, os integrantes do Comitê apresentaram uma proposta diferente da encaminhada pelo professor Josué. Enquanto a gestão propunha a nomeação de duas comissões, com cinco, sete ou nove integrantes dentre diretores e diretoras acadêmicas. Encabeçada pelo professor Elionardo Melo, do Campus Currais Novos, a proposição das Diac’s era de as comissões serem formadas a partir da articulação com os campi, ouvindo integrantes das Coordenação de Atividades Estudantis (Psicologia e Assistência Social), as Equipes Técnico-Pedagógicas e coordenadores de curso, que teriam assento no grupo. Os nomes indicados seriam encaminhados ao Gabinete da Reitoria entre segunda e quarta-feira (10 e 12 de agosto). A gestão pro tempore ainda sugeriu uma terceira via, a indicação de componentes para as comissões e a complementação posterior, com a inserção de consultores, ligados à área acadêmica, com nomes sugeridos por seus próprios integrantes.

Diante de sua própria negativa em encaminhar votação entre as propostas, o reitor pro tempore ressaltou a inexistência de regimento que regulamente as reuniões do Comitê de Ensino e apontou para a urgência em definir a data de retorno e as duas comissões, demanda que disse ser acompanhada pelo Ministério Público Federal. A discordância entre os dois pontos de vista levou ao encerramento da reunião sem formação das comissões e sem discussão do último ponto de pauta. Josué Moreira disse, no fim do encontro, que pode, legalmente, apontar nomes para as comissões, ao que assegurou dar andamento.

Ações do documento

Página em carregamento