Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Comitê de Enfrentamento à Covid-19 lança Plano de Contingência do IFRN
Covid-19

Comitê de Enfrentamento à Covid-19 lança Plano de Contingência do IFRN

06/07/2020 - Documento foi avaliado e aprovado pelo Conselho Superior (Consup)

Comitê de Enfrentamento à Covid-19 lança Plano de Contingência do IFRN

Como será o novo normal? É essa questão que o Plano de Contingência do IFRN para Enfrentamento ao Novo Coronavírus se propõe a começar a responder. Elaborado com a coordenação e o trabalho do Cômite de Enfretamento à Covid-19 do IFRN, contou com a colaboração de mais de 40 servidores de diversas áreas do Instituto. Eles elaboraram os protocolos que irão nortear a preparação e, quando houver indicação das autoridades sanitárias, o retorno das atividades presenciais no Instituto.  

O documento foi aprovado pelo Conselho Superior do IFRN (Consup) no último dia 18 de junho e seguiu para revisão e diagramação. O Plano está dividido em recomendações gerais, que vão nortear a conduta de todos os membros da comunidade acadêmica, e apresenta também orientações mais específicas, voltadas para setores administrativos e espaços acadêmicos. Entre as recomendações gerais, destacam-se a obrigatoriedade do uso de máscaras nas dependências do IFRN, a necessidade de manutenção do distanciamento social e a construção de protocolos voltados para o monitoramento de estudantes e servidores que venham a apresentar sintomatologia sugestiva para a Covid-19.

Na sua construção, o Comitê Covid-19 do IFRN definiu a realização do plano em fases. “Nesse primeiro momento, nós recebemos colaborações de servidores de diversas áreas, sistematizamos as sugestões e dividimos as medidas em três tipos de barreiras que se complementam e muitas vezes se misturam: sanitárias (barreiras que impedem a contaminação a partir da existência de aglomerações, por exemplo); físicas (barreiras que auxiliam na manutenção do distanciamento social e ajustes nos espaços como laboratórios e salas) e químicas (barreiras relacionadas com a sanitização dos objetos e ambientes)”, explica Thiago Raulino, presidente do Comitê Covid-19.

Na segunda fase, o Comitê recomendou aos campi o estabelecimento de comissões locais que irão analisar as recomendações feitas no Plano e providenciar os insumos e os ajustes que forem necessários, levando em consideração a realidade local de cada campus do IFRN. A primeira reunião com as comissões locais foi realizada no dia 3 de julho e a previsão é que as primeiras versões dos planos locais sejam entregues para discussão e ajustes junto ao Comitê no dia 16 deste mês.

Em paralelo a esta fase, a Pro-Reitoria de Administração do IFRN (Proad) está encaminhando junto às Diretorias de Administração dos campi o levantamento acerca das necessidades de aquisição de insumos e contratos de prestação de serviços. “Estamos verificando as necessidades de cada campus para que possamos encaminhar essas questões relativas à compra dos insumos e a adequações dos ambientes com recursos remanejados de outras áreas e da reserva técnica do IFRN”, explica a pró-reitora de Administração, Raquel Costa.

Na última fase, os planos passarão a ser implementados dentro dos campi em duas etapas: a fase pré-retorno das atividades presenciais e a fase de retorno. “Destacamos, no entanto, que uma série dessas ações já está ou estará em andamento nos próximos dias, já que, mesmo com a realidade da suspensão das atividades, existem serviços essenciais que continuam ocorrendo presencialmente nos campi”, informa Valéria Oliveira, componente do Comitê Covid-19.

Um dos grandes desafios enfrentados para a elaboração do Plano diz respeito às questões relacionadas ao Ensino. “O IFRN apresenta uma realidade muito peculiar em função de sua estrutura multicampi, com realidades e funcionamento  distintos. Os estudantes, em sua grande maioria, apresentam uma situação de vulnerabilidade social, portanto, de precariedade no acesso aos dispositivos tecnológicos e também à própria internet para acompanhamento de atividades remotas. Além disso, outros desafios como o acesso à escola – através de transportes públicos – especialmente no interior, o tempo de permanência dos estudantes na Instituição, o que terá de ser reorganizado, a construção de critérios de escalonamento e revezamento das turmas, questões didático-pedagógicas e capacitação dos docentes vão precisar ser consideradas para que o retorno das atividades seja seguro”, destaca Tânia Costa, pedagoga do Campus Natal-Central e uma das colaboradoras do Plano.

Além dos encaminhamentos relacionados ao Plano, o Comitê Covid-19 continua realizando a aplicação do Censo da Saúde – pesquisa que pretende fazer um diagnóstico da situação de saúde da comunidade acadêmica. O objetivo é atingir 100% dos servidores (efetivos, substitutos, visitantes e vinculados a empresas terceirizadas) e estudantes da Instituição para que estratégias específicas possam ser elaboradas de acordo com a realidade de cada unidade do Instituto. Outro serviço que continua em andamento é o atendimento psicológico, prestado remotamente a servidores e estudantes que precisam de acolhimento nesse momento.

“Serão muitas mudanças que precisaremos assumir como novos comportamentos e isso tudo é parte de um processo que envolve todos os membros da comunidade. Por isso, em breve começaremos a explicar alguns pontos em matérias no site e em campanhas voltadas para a adoção de novos comportamentos”, explica a servidora Patrícia Mesquita, também componente do Comitê Covid-19.

Confira:

Plano de Contingência do IFRN para o Enfrentamento ao Novo Coronavírus

Ações do documento

Página em carregamento