Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Campus São Paulo do Potengi: oito anos da terceira fase de expansão do IFRN
Comemoração

Campus São Paulo do Potengi: oito anos da terceira fase de expansão do IFRN

05/10/2021 - Instituto desenvolve ações de Extensão e Pesquisa que contribuem para o desenvolvimento social e econômico da região

Campus São Paulo do Potengi: oito anos da terceira fase de expansão do IFRN

O Campus São Paulo do Potengi está localizado a cerca de 73km da capital potiguar.

Por Max Praxedes

Há exatos oito anos tinha início a terceira fase de expansão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), fruto do Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, implementado pelo Governo Federal. Como resultado, nasceram os campi Ceará-MirimSão Paulo do Potengi e Canguaretama.

Em celebração à data, o Núcleo de Jornalismo do Instituto (Nujor/IFRN) produziu uma série de matérias especiais, contando a história dos três campi aniversariantes e mostrando relatos de quem fez e faz parte de cada um deles. A primeira matéria, sobre o Campus Ceará-Mirim, já se encontra no Portal do IFRN. Esta é a segunda, referente ao Campus São Paulo do Potengi do IFRN.

Campus São Paulo do Potengi

Campus São Paulo do Potengi do IFRN (IFRN-SPP) faz parte da terceira fase de expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Foi inaugurado no dia 2 de outubro de 2013, em cerimônia realizada no Campus Ceará-Mirim do Instituto e contou com a presença da presidente Dilma Rousseff.

Distante aproximadamente a 73 quilômetros da capital potiguar, está localizado no território do Potengi, região composta por 11 municípios: Barcelona, Bom Jesus, Ielmo Marinho, Lagoa de Velhos, Riachuelo, Santa Maria, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Tomé, Senador Elói de Souza e Ruy Barbosa. São Paulo do Potengi possui uma área territorial de 240,425 km², com uma população estimada em 17.858 pessoas.

Com foco de atuação estabelecido nas áreas de Construção Civil, de Informática, de Matemática e de Meio Ambiente, o Campus oferta cursos nas modalidades Integrado ao Ensino Médio, Subsequente, Educação de Jovens e Adultos (ProEJA), Educação a Distância (EaD) e Graduação. A unidade de Ensino tem capacidade para atender 1200 alunos e 120 servidores, entre docentes e técnicos administrativos.

O IFRN-SPP desenvolve ações de Extensão e Pesquisa, que contribuem para o desenvolvimento social e econômico da região, integrando as ações do Campus à sociedade e comunidade local.

Reconhecimento do ensino público, gratuito e de qualidade

Campus São Paulo do Potengi do IFRN muda completamente a vida dos seus alunos, e não foi diferente com Guilherme Maia, que fez parte da primeira turma do Curso Técnico Integrado em Edificações do Campus: "Lembro bem o quão encantado fiquei com o tamanho da escola, tudo muito diferente para o padrão de uma escola no interior do estado. Foram quatro anos maravilhosos, em que inúmeras portas se abriram, descobri alguns talentos e, acima de tudo, conheci pessoas maravilhosas que levarei para sempre".

"Fui muito feliz enquanto estudei no IFRN e guardo com muito carinho todos os momentos. Lembro do dia que comemorávamos um ano de Campus, e agora já são oito. Tenho certeza de que muitos ex-alunos, assim como eu, têm muito orgulho de ter passado por lá e que hoje, por onde passam, falam de onde vêm. Já encontrei muitos filhos do IFRN São Paulo do Potengi espalhados no estado, que têm muito sucesso no que escolheram para suas vidas, e fico feliz que esse número vai crescer muito mais. Parabenizo o Campus e as pessoas que fazem tudo acontecer: professores, técnicos e terceirizados", destacou Guilherme.

Motivado por sua mãe e na busca por um ensino público, gratuito e de qualidade, Neto Rocha, que também fez parte da primeira turma do Curso Técnico em Edificações do Campus, considera que o IFRN foi um divisor de águas em sua vida: "Em 2014, éramos um Campus novo e ainda em desenvolvimento. Sair da realidade do ensino que eu tinha antes para o IFRN, foi uma experiência incomparável, um novo mundo. Foram quatro anos de inúmeros desafios, grandes conquistas e constante aprendizado. Além disso, tive a oportunidade de conhecer vários novos lugares do Brasil e conhecer colegas, professores e servidores que hoje são amigos e que levo para a vida", relatou o jovem.

A estudante Rita Varela, que cursa o terceiro ano do Técnico Integrado em Meio Ambiente no Campus, viu no IFRN a oportunidade que buscava de um ensino público de qualidade, além de oportunidades acadêmicas e profissionais: "Felizmente, encontrei o que eu procurava, e muito mais; fiz amigos para uma vida toda. Lá, participei e ainda participo de projetos, fui bolsista no programa Tutoria de Aprendizagem e Laboratórios (Tal), fiz parte do Grêmio Estudantil Monsenhor Expedito (Gemex) e sou líder de turma; tudo isso durante a pandemia. Esse período está sendo difícil, mas é importante manter em mente nossos objetivos, sonhos e interesses. As oportunidades existem e os professores estão aqui para nos dar o suporte necessário. Tenho muito orgulho de ser uma aluna do Campus São Paulo do Potengi do IFRN", declarou.

Rita destaca que o IFRN é como uma segunda casa: "Eu e meus amigos sempre dizíamos: 'eu passo o dia inteiro no IF, só vou em casa para dormir'. Tenho um carinho imenso pelo IFRN-SPP e pelos servidores, sempre me senti acolhida por eles e pelo ambiente confortável e inclusivo do Campus, inclusive, estou morrendo de saudades e ansiosa pelo retorno híbrido". 

"Há escolas que são asas"

Chegar ao Campus São Paulo do Potengi há oito anos e ver toda a estrutura física de equipamentos, de materiais e de servidores à disposição da região do Potengi foi como um sonho para Santana Freitas, assistente social do Campus: "Não tenho outra palavra para descrever. Ver tudo isso à disposição da comunidade, a formação das primeiras turmas, do primeiro grêmio estudantil, do time de futebol, da banda de música, as primeiras participações nas Olimpíadas do Conhecimento, tudo isso me fez dar sentido à frase de Rubem Alves, quando ele diz que 'há escolas que são asas'. O desenvolvimento dos nossos estudantes, presenciado ao longo dos oito anos, onde eles podem trilhar os seus próprios caminhos, alçar seus próprios voos, me faz ver a importância desta instituição e perceber o quanto o IFRN é presente em toda a região e traz transformação para a realidade de cada um que faz parte da sua história", afirmou.

O servidor Alex Santos, que coordena o setor de Tecnologia da Informação (TI), iniciou sua trajetória no Campus em março de 2014: "Nessa época 'era tudo mato' no setor de TI. Na sala do setor só haviam alguns equipamentos de rede básicos instalados e um amontoado de caixas de materiais e equipamentos de TIC. Esse período foi de grande aprendizado, pois tive a oportunidade de realizar o planejamento e implantação de boa parte da infraestrutura de rede do Campus, contando com o suporte de colegas mais experientes do que eu, principalmente da Reitoria e do Campus Pau dos Ferros", comentou. 

Alex afirma que, nos anos seguintes, o Campus o proporcionou muito aprendizado técnico e de gestão, por ser a sua primeira experiência com uma função de coordenação no IFRN: "Isso me permitiu aprender com penosos processos de licitação/adesão e contribuir ainda mais com o Campus. Além disso, durante todo o período, novas amizades foram criadas, seja com as pessoas que estão [no Campus] ou que foram para outros lugares. Nestes oito anos passamos por problemas, contudo, me orgulha ter presenciado a resiliência das pessoas do Campus e por ter contribuído com meu trabalho nesse sentido", disse.

Desde 2016, a técnica em contabilidade do Campus, Danielle Vitorino, tem acompanhado e se orgulhado do crescimento do IFRN-SPP: "Vi o Campus crescer, não apenas em sua estrutura, mas, também, no crescimento coletivo dos alunos, dos servidores (efetivos e terceirizados), da comunidade de São Paulo do Potengi e das cidades limítrofes e circunvizinhas do Campus". Para Danielle, "o IFRN São Paulo do Potengi cria vínculos onde sentimos orgulho de cada um que passa por ele".

A expansão

O reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte, professor José Arnóbio de Araújo Filho, comemora os oito anos dos campi Ceará-Mirim, São Paulo do Potengi e Canguaretama. Para ele, "cada Campus que nasce no IFRN é uma nova possibilidade, tanto de atendimento a novos alunos, como de oferecimento de novas ofertas". Por isso, destaca a necessidade de divulgar para a sociedade as ações que acontecem no Ensino, na Pesquisa e nas atividades de Extensão do IFRN.

"Após oito anos, a gente percebe o quanto cada um dos campi mostra à sociedade local a importância de se levar uma educação pública, gratuita e de qualidade para quem mais precisa. Os cursos ofertados pelos campi, sejam eles os Cursos Técnicos Integrados à Educação Profissional, os Cursos Técnicos Subsequentes, os Superiores de Tecnologia e também em alguns campi que já ofertam cursos de Pós-graduação, promovem desenvolvimento às populações e comunidades. Quero parabenizar o professor Renato, que está à frente do Campus São Paulo do Potengi, que começou com o professor Ednaldo Pereira, e toda a comunidade dos campi que fazem parte da terceira fase de expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica", declarou o reitor.

Para Renato Dantas, diretor-geral do Campus São Paulo do Potengi, a expansão dos Institutos Federais representa um marco democrático e de inclusão na educação brasileira: "Compreender esse papel na atuação dos campi do IFRN na sociedade potiguar é uma regra natural para assumir a gestão de um Campus, especialmente se tratando do interior do Estado. Celebrar oito anos de aniversário do Campus São Paulo do Potengi é ter a convicção que, após dois ciclos de mandatos de gestores anteriores, estamos alcançando a maturidade no que diz respeito as relações de Ensino, Pesquisa e Extensão com a comunidade do nosso entorno", ressaltou. 

Renato afirma que "a consolidação do nosso papel já imprime nas famílias do Potengi o desenvolvimento e a emancipação dos cidadãos, o progresso e a dignidade em sonhar com um futuro melhor. Já fizemos muito, mas entendemos que precisamos de muitos outros anos para permanecer cumprindo tantos bons projetos e promovendo a transformação que a nossa sociedade tem direito. Parabéns, IFRN-SPP", finalizou o diretor-geral.

Acesse:

Matéria especial sobre o Campus Ceará-Mirim

 

Ações do documento

Página em carregamento