Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Campus Pau dos Ferros forma novos professores e desenvolvedores de sistemas
SOLENIDADE

Campus Pau dos Ferros forma novos professores e desenvolvedores de sistemas

29/04/2019 - Colação de grau aconteceu na noite da quinta-feira (18)

Campus Pau dos Ferros forma novos professores e desenvolvedores de sistemas

"A formatura da minha filha foi uma grande conquista alcançada, já que eu não tive a oportunidade de chegar onde ela chegou. Por isso, sinto-me muito orgulhoso por ter proporcionado a ela a realização do seu sonho. Mesmo diante de tantas dificuldades que enfrentamos durante esses quatros anos conseguimos alcançar o objetivo dela”, afirma Ismar Pereira Alves, agricultor residente no Sítio Chapada, em Portalegre, que teve a emoção de ver sua primeira filha, Kátia Pereira Alves, formada.

O discurso foi proferido na noite da quinta-feira (18), na solenidade de Colação de Grau dos concluintes 2018.2 dos cursos de Licenciatura Plena em Química e Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) do Campus Pau dos Ferros do IFRN. Presidida pelo reitor do Instituto, o professor Wyllys Abel Farkatt Tabosa, a cerimônia contou com a presença da diretora geral do Campus, a professora Antonia Francimar da Silva; do diretor acadêmico em exercício, Radyfran Nascimento de França; além dos coordenadores de curso, paraninfos, patronos, homenageados, padrinhos, representantes de instituições de ensino, demais convidados e familiares.

Depoimentos

Além de Ismar Pereira, outros pais comentaram a emoção de viver o sonho de ver o filhos se formarem. Do município de Itaú/RN, a ex-costureira e hoje aposentada Cicera Leite orgulha-se de ver o filho se graduar: “fiquei muito feliz ao ver meu filho formado, foi um sonho que se realizou e adorei a cerimônia", relata a mãe de Walter Santiago Leite Fereira, Analista e Desenvolvedor de Sistemas.

Do município de Rafael Fernandes/RN, o licenciado Carlos Lenilson Costa, que foi o estudante laureado da Licenciatura, comenta a sua graduação: “a colação de grau foi um momento marcante e prazeroso. Foi o dia no qual formalizou-se quatro anos de construção individual e coletiva ao lado dos meus amigos e mestres. Lembrar do momento é sentir imensa alegria e sensação de dever cumprido e, pensar que uma etapa foi concluída. Como diziam nossos professores, isto é só o começo, e ainda há muito o que aprender”, detalha.

Discursos que emocionam

Abrindo os discursos, a porta-voz dos formandos, Suzyanne Brito Almeida, deu o tom a sua fala com mensagem de agradecimento, aos familiares e pais, aos presentes e aos ausentes, aos professores e demais envolvidos na educação superior, realizando um resgate de momentos vividos, às dificuldades, aos aprendizados e desafios que terão pela frente, reconhecendo a Instituição como segunda casa: "o IFRN virou nossa segunda casa e cada um de nós tem um lugarzinho aqui que pode chamar de seu. (...) Ao longo desse período nós erramos, choramos, nos desesperamos, persistimos e aprendemos. Foram muitas fórmulas químicas, códigos e programações. Hoje temos a sensação de dever cumprido. Nos tornamos profissionais da docência e da tecnologia e temos uma grande responsabilidade a seguir. De hoje em diante, nos doaremos à profissão e compartilharemos nossos conhecimentos com todo o amor que nos foi transmitido. (...) Foi uma honra participar de tantos momentos intensos na realização desse sonho e principalmente de fazer parte da história dessa linda Instituição", disse.

A paraninfa, professora Ayla Márcia Cordeiro Bizerra, ao discursar, relembrou momentos em que os graduandos foram postos à prova para que se tornassem, de fato, profissionais: "acompanhamos vocês ao longo dessa jornada que hoje se encerra, fomos duros, severos, exigentes. Pedimos muito, exigimos cada dia mais. Nós sabemos. Mas só se pede e se exige daqueles os quais confiamos e acreditamos no potencial, daqueles que sabemos que são capazes, daqueles que sabemos que podem!" (...) Ao longo dessa jornada vimos vocês se transformarem, se descobrirem e se reinventarem. E como foi lindo ver, acompanhar e participar desse capítulo das suas vidas", afirmou.

"Vocês são o produto dessa educação, são a prova de que é possível um ensino público de qualidade, que coloca rico e pobre no mesmo patamar, que não faz distinção de cor, raça, sexo, religião ou orientação sexual. É nessa educação que nós acreditamos, é por vocês que insistimos e não desistimos." (...) Tenham sempre em nós, e quando eu digo “nós”, me refiro a essa Instituição de ensino pública de qualidade, composta por professores, técnicos administrativos e terceirizados que trabalham com amor e por amor a vocês. Estamos aqui para servi-los, para servir à população. Vocês são a nossa esperança de um mundo melhor", concluiu.

Emocionada, a professora Antonia Francimar parabenizou todos os envolvidos no processo da graduação, com menções especial aos formandos, reconhecendo o trajeto deles no IFRN e os desafios que terão como profissionais graduados: "eu fico feliz com a fala de vocês ao dizerem que essa foi também a casa de vocês. É pra isso que a gente trabalha", destacou.

Referindo-se aos novos licenciados e aos tecnólogos, ressaltou a importância de suas profissões e mensagem que devem levar ao mundo: "a profissão docente é muito nobre. Todas as profissões são nobres. E vocês, meninos desse mundo da tecnologia, a gente quando olha para o mundo, vê tanta tecnologia e descobre que já temos tanta técnica pra dar conta das coisas, ao mesmo tempo, falta tanta ética. Mas acho que essa Instituição, vocês, a gente, nessa caminhada, têm construído isso também, essa necessidade de ser, de seremos esses profissionais também da ética, do cuidado com o ser humano. E os mensageiros, como dizia nosso bom Paulo Freire, mensageiros da esperança, mais do que nunca precisamos disso!". (...) O que eu desejo é que cada um de nós saia daqui mais fortalecido, mais crítico, que é preciso cuidarmos uns dos outros, pra fazermos deste mundo um pouco melhor"detalhou.

Em seu discurso, Wyllys Farkatt, após cumprimentos e saudações aos formandos, também relatou os desafios que as Instituições vêm enfrentando, reconheceu a Instituição forte que tem sido IFRN ao longo de seus quase completos 110 anos de história: "é uma Instituição que passou por guerras mundiais, passou por governos mais democráticos e por governos mais reacionários. Uma Instituição que passou por momentos em que quase fomos colocados numa condição muito ruim do ponto de vista do financiamento do projeto e essa Instituição chegou até hoje aonde chegou. Mas por quê? Por conta dos prédios, por conta dos equipamentos, enfim, por conta de toda a estrutura física? Não, não! Só chegou por conta das pessoas que fazem esta Instituição", ressaltou.

O dirigente do Instituto destacou a importância dos novos graduados levarem para a vida valores que se aprendem além do conhecimento formal de escola: "A formação que vocês tiveram nesta Instituição é, de fato, diferenciada, porque, para além de toda a tabela periódica que vocês aprenderam, de todas as análises químicas feitas, para além de todos os softwares feitos, produzidos e tudo mais, tem algo que vocês aprenderam aqui e que não está em nenhum outro manual. (...) É exatamente uma palavra que é muito cara que se chama 'moral', que está no campo do individual, mas principalmente uma que está no campo do coletivo, que é a ética.  A ética é uma palavra tão cara, bem lembrada aqui por Antonia, e que vocês devem se lembrar porque está no juramento de vocês. (...) E aí, meus caros tecnólogos e meus caros professores, levem este aprendizado para a vida de vocês. Levem exatamente o conhecimento que vocês tiveram: formal, conteudista, muitas vezes, mas antes de mais nada, o conhecimento que vocês construíram a partir do exemplo de cada um dos servidores e servidoras do IFRN. Levem este aprendizado, porque este vocês não vão encontrar em nenhum outro lugar.", discursa o reitor Wyllys.

Todos os discursantes, em suas falas, proferiam lembranças à Michele Barroso Matias, que cursava Licenciatura Plena em Química, vindo a falecer no dia 16 de abril. Antes da abertura oficial da Cerimônia, um minuto de silêncio foi feito em homenagem e memória a Michele.

Acesse:

Cobertura fotográfica da Solenidade - Créditos: Jalon Medeiros

 

Ações do documento

Página em carregamento