Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Ações da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação em 2021*
UM ANO DE GESTÃO

Ações da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação em 2021*

05/01/2022 - Responsável pela política de desenvolvimento científico e tecnológico do Instituto, no último ano, a Propi criou editais, fomentou obras literárias e capacitou servidores

Ações da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação em 2021*

A Propi divide-se em três subsetores: Diretoria de Inovação Tecnológica, Coordenação da Editora e a Coordenação da Pós-graduação

2021 foi um período atípico, tendo, mais uma vez, a pandemia da Covid-19 como plano de fundo. Buscando conter a proliferação do vírus, o ensino remoto, o uso de máscaras, álcool em gel e outras medidas foram tomadas. Contudo, mesmo em meio aos desafios, a comunidade acadêmica do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) pode olhar para o último ano e contar bons frutos.

A posse do novo reitor do Instituto, professor José Arnóbio de Araújo Filho, a oferta de novos cursos, novas parcerias e o retorno gradual e seguro das aulas presenciais são apenas algumas das ações que marcaram o IFRN. Os pontos positivos são contados, ainda, nos setores dessa instituição centenária. É o caso da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (Propi).

Responsável pela política de desenvolvimento científico e tecnológico do Instituto Federal do RN, a Propi tem o objetivo de promover a Pesquisa, seja básica ou aplicada, entre estudantes e servidores do IFRN. Através dela, são realizadas ações que buscam difundir a Pesquisa e a Inovação como elemento propulsor da educação associada ao desenvolvimento socioeconômico.

Palavras do pró-reitor de Pesquisa e Inovação

Quem está à frente da pasta é o professor Avelino Aldo de Lima Neto. Ao olhar para o passado, o pró-reitor relembra o desafio do déficit de servidores diante do grande número de demandas. A solução encontrada para a situação foi a cooperação: “Para mitigar esse problema, contamos com o apoio dos diretores-gerais e chefias imediatas, que autorizaram as cooperações parciais de servidores de diversos campi. Um outro desafio foi a diminuição de cerca de 30% dos recursos da Propi em relação ao ano anterior. Para vencê-lo, unimo-nos a outras pró-reitorias e/ou assessorias, realizando iniciativas comuns, compartilhando recursos e força de trabalho”, contou.

“Temos boas expectativas para o fortalecimento dos Centros de Tecnologia já em funcionamento por meio da criação de regulamentação institucional para esses ambientes de Inovação e do fortalecimento do fomento à Pesquisa”, adiantou Avelino de Lima. O professor ressalta ainda o acompanhamento das propostas de novos cursos Stricto Sensu, além do fortalecimento das estratégias de difusão científica já em curso, bem como a divulgação de trabalhos desenvolvidos por pesquisadores do Instituto.

Ações do setor e seus sub-setores

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação do IFRN divide-se em três sub-setores: a Diretoria de Inovação Tecnológica (Ditec), a Coordenação da Editora do IFRN (Coedi) e a Coordenação da Pós-graduação (COPPG). Durante o ano de 2021, diversas foram as ações desenvolvidas por cada uma delas, como a criação de editais, fomento a obras literárias, e capacitações.

Diretoria de Inovação Tecnológica

Somente no último ano, foram executados 456 projetos de Pesquisa e Inovação, após a publicação de doze editais por meio da Ditec. Houve também 30 registros de propriedade intelectual, sendo cinco patentes e 25 softwares, além de duastransferências de tecnologia, isto é, licenciamentos de tecnologia ou conhecimentos técnicos exclusivos à uma empresa com a finalidade de impulsionar o negócio.

Com a dedicação dos membros da Diretoria, foi possível enfrentar os desafios e consolidar iniciativas que buscam impulsionar a Pesquisa e a Inovação. Um exemplo é a retomada das atividades do Centro de Referência em Tecnologia Mineral (CT Mineral) e a realização doII Fórum Estadual Mineral, como estratégia para reunir o setor produtivo da área no Estado e levantar os debates relacionados às ações de mineração no RN. Em 2021, houve, ainda, a inserção do IFRN na Lei de Informática, que concede incentivos fiscais para empresas do setor de Tecnologia que investem em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).

Mesmo em meio à crise sanitária desencadeada pela pandemia do novo coronavírus, o IFRN não parou, colaborando, por vezes, no combate ao SARS-CoV-2. A Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação, por meio da Ditec, firmou uma parceria com Secretaria de Saúde Pública do RN (Sesap/RN), para o desenvolvimento de projetos para contribuir com a modernização da saúde pública do estado.

Coordenação da Editora IFRN

Por meio da Coordenação da Editora do Instituto (Coedi), a Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação colaborou para a publicação de 27 obras literárias, frutos de nove editais. Durante o I Seminário da Editora IFRN, foram lançadas outras 40 obras e realizadas três conferências destinadas à formação de autores.

O último ano foi marcado por parcerias e coedições entre a Editora IFRN e editoras nacionais e estrangeiras. Foi publicado do Edital nº 25, que anunciou a cooperação com as editoras da Universidad de Buenos Aires, da Argentina, e da Universidad Francisco Gavidia, de El Salvador. Através do Edital nº 28, a Editora do Instituto Federal do RN e de Pernambuco (IFPE) tornaram público a coedição de uma obra sobre a prática da educação no Nordeste brasileiro durante a pandemia da Covid-19.

Buscando ampliar os reconhecimento e alcance das produções técnico-científicas da instituição, a Editora IFRN fomentou sua divulgação através das mídias sociais. 2021 contou, ainda, com a capacitação ‘Popularização da Ciência para o fortalecimento da comunicação institucional’, destinado a servidores e estagiários da Comunicação Social e de Pesquisa e Inovação.

Coordenação da Pós-Graduação

Com o objetivo de abordar as propostas de novos cursos de mestrado no IFRN, o Instituto realizou ao longo de 2021, através da Coordenação da Pós-Graduação (COPPG/Propi), seis Fóruns de Planejamento de Cursos Novos do IFRN. Durante esse período, a Coordenação elaborou, junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o curso de elaboração de Proposta de Cursos Novos.

Em reunião ordinária do Conselho Superior (Consup) do IFRN, realizada no dia 26 de novembro de 2021, foi aprovado o regimento da Comissão de Ética no Uso de Animais (Ceua) do Instituto. A Comissão, composta por representantes dos três campi da instituição que fazem uso de animais em atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão (Apodi, Macau e Ipanguaçu) vem desde junho do último ano realizando os trabalhos. Por esta razão, a COPPG ofertou, em agosto daquele ano, o curso ‘Procedimentos para Implementação de Comissão de Ética no Uso de Animais’, voltado à Comissão e pesquisadores interessados.

Francinaide Nascimento, coordenadora da Pós-Graduação na Propi, cita, ainda, mais algumas ações da pasta em 2021, como a oferta de dez bolsas de Pesquisa para mestrandos dos Programas de Pós-Graduações do Instituto, o cadastro de 50 projetos de Pesquisa por meio de Edital, e a submissão de cinco livros frutos de Programas de Pós-Graduações a Edital da Editora IFRN.

Planos para 2022

“Encarando o futuro”. Assim o pró-reitor de Pesquisa e Inovação do IFRN, Avelino de Lima, define o desafio de investir nas estratégias já mencionadas, a fim de, em 2022, dar continuidade às iniciativas desenvolvidas na Propi em 2021.

*Texto de Luciano Vagno, estagiário de Comunicação Social - Jornalismo na Reitoria

Ações do documento

Página em carregamento