Você está aqui: Página Inicial / Campi / Pau dos Ferros / Notícias / Retorno gradual das atividades presenciais de servidores
ATIVIDADES PRESENCIAIS

Retorno gradual das atividades presenciais de servidores

01/09/2021 - Comissão avalia retorno em quatro fases, de acordo com as condições epidemiológicas

Retorno gradual das atividades presenciais de servidores

IFRN se prepara para retorno gradual das atividades presenciais de servidores.

Em março de 2020, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) suspendeu suas atividades presenciais, com o objetivo de evitar a contaminação de seus servidores e estudantes pela Covid-19. Desde então, a comunidade acadêmica e a gestão institucional vem acompanhando e avaliando os cenários e planejando o retorno gradual das atividades presenciais.


Quem explica é o coordenador do processo de planejamento do retorno para servidores, Rodrigo Ricelly: “a discussão sobre esse retorno vem desde 2020. Com o avanço da vacinação e com a redução dos leitos, a discussão retornou e reformulamos a comissão que tratava sobre isso”.


Início das ações da comissão

Rodrigo conta que desde junho deste ano a discussão sobre o retorno presencial foi intensificada. A comissão passou a analisar, por exemplo, como outros órgãos estão realizando essa ação. Após esse período, o grupo passou a se reunir semanalmente, com até três reuniões por semana.


Nos dias 23 e 24 de agosto, a comissão apresentou a minuta das diretrizes de retorno presencial ao Colégio de Dirigentes (Codir/IFRN). Os diretores-gerais dos campi do Instituto vão, agora, apresentar o documento aos servidores, bem como a uma representação estudantil. Rodrigo explica que o objetivo é reunir e aplicar sugestões para a melhoria da proposta.


Retomada presencial em quatro fases

Conforme a minuta da resolução, o retorno das atividades está relacionada também à presença dos insumos básicos de proteção contra a Covid-19, indicados pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19. O documento afirma que a presença de servidores em cada ambiente de trabalho, com o distanciamento mínimo de um metro e meio entre eles, não deverá ultrapassar o percentual máximo de sua capacidade física, conforme as fases a seguir:


Fase Capacidade física do setor Condição
1 30%  Ocupação dos leitos críticos para tratamento da Covid-19 estar inferior a 70% e a taxa de transmissibilidade menor que 1
2 50% Ocupação dos leitos críticos para tratamento da Covid-19 estar inferior a 50% e a taxa de transmissibilidade menor que 1
3 75% Ocupação dos leitos críticos para tratamento da Covid-19 estar inferior a 40% e a taxa de transmissibilidade menor que 1
4 100% Ocupação dos leitos críticos para tratamento da Covid-19 estar inferior a 40% e a taxa de transmissibilidade menor que 0,7



Rodrigo Ricelly ressalta que o período de cada fase será definido pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19, que levará em consideração as situações epidemiológicas. Seguindo essa linha, Rodrigo destaca também que a diretora ou o diretor-geral de cada Campus tem autoridade para retornar as fases, podendo optar, inclusive, por realizar as atividades totalmente de forma remota, caso a situação da pandemia se agrave.


A chefia de cada setor institucional, juntamente com sua equipe, pode ainda decidir de que forma ocorrerão as atividades no setor. O documento lista cinco formas de retorno dos trabalhos:

  • Retorno do trabalho presencial (50% da carga horária diária) e remoto (50% restantes da carga horária diária);
  • Retorno do trabalho presencial misto em turnos: os setores poderão definir turnos de trabalho. Uma parte dos servidores na forma presencial e outra de forma remota, alternando entre elas o turno, de forma que haja atividades presenciais todos os dias da semana;
  • Retorno do trabalho presencial misto em dias: os setores ou subsetores poderão definir dias de trabalho remoto e dias de trabalho presencial;
  • Retorno do trabalho presencial no setor de forma integral; e
  • Retorno do trabalho presencial em caráter de revezamento semanal: o servidor trabalhará determinada semana integralmente presencial e, em outras, trabalhará de forma remota.


Próximos passos


Agora, a portaria passará pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 junto ao Codir./IFRN Após as implementações das sugestões vindas dos campi do Instituto, o documento passará pela Procuradoria Jurídica (Proju/IFRN), onde será feita uma revisão jurídica. Em seguida, a comissão apresentará a minuta ao Conselho Superior (Consup/IFRN).


Ricardo Ricelly se mostra otimista quanto à retomada das atividades presenciais ainda para o mês de outubro de 2021. “Estou vendo que a vacinação está bem avançada. Basicamente, em setembro, uma boa quantidade dos servidores estará com as duas doses das vacinas. Então a minha expectativa é a melhor possível, no sentido de que vamos conseguir retornar em segurança, aliando a vacinação com os cuidados que aprendemos, mantendo o distanciamento. Os setores já estão implantando divisórias de acrílico nas mesas, então imagino que vamos retornar com segurança”, concluiu.

Ações do documento

Página em carregamento