Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / IFRN encerra Semana de Ciência e Tecnologia premiando 75 trabalhos
Secitex

IFRN encerra Semana de Ciência e Tecnologia premiando 75 trabalhos

01/11/2018 - Secitex aconteceu no Campus Natal-Central

IFRN encerra Semana de Ciência e Tecnologia premiando 75 trabalhos

Equipe Laica, do Campus Natal Central, vence a Olimpíada de Robótica e ganha credenciamento para evento em Portugal; foto

Por Cleyton Fernandes (Reitoria)

Foram três dias, 21 campi, 3 mil e quatrocentos inscritos e centenas de professores, técnicos, estudantes e servidores terceirizados. Foram apresentações orais, em pôster e com protótipos. Foram fotos, vídeos, shows e apresentações teatrais. Foram disputas entre projetos empreendedores e entre robôs. Foram dias de integração entre público interno e externo. Foi a Secitex 2018, maior evento de ciência e tecnologia do Instituto Federal do Rio Grande do Norte. Foi no Campus Natal-Central. Será inesquecível.

Programação

Os dias de evento reuniram o Congresso de Iniciação Científica (Congic), o Simpósio de Extensão, a Mostra Tecnológica, a Olimpíada de Robótica, o Prêmio de Empreendedorismo Inovador e a Mostra de Arte e Cultura. Em cada uma dessas atividades, os estudantes do Instituto mostraram ao público presente que de melhor se tem produzido em Ensino, Pesquisa e Inovação.

Seguindo o mote da “Ciência para redução das desigualdades”, a Secitex, trouxe projetos inovadores, voltados à inclusão. Exemplo disso foi o trabalho apresentado pelo grupo de Larissa Azevedo, do Campus Santa Cruz. Tratando de dessalinização de água salobra, Larissa crê que seu projeto segue a temática do evento: “A Secitex é um mundo de descobertas, de diversidade de projetos. A temática desse ano pretende melhorar a vida das pessoas, e nossa solução segue essa concepção”, relatou. Pensamento parecido ao de Mel Vitória Gurgel, do Campus Mossoró. Para ela a Secitex tem sido uma janela para mostrar as produções cinematográficas dos alunos, mas também para trazer à tona discussões importantes e sentimentos das vivências de cada um.

Vanessa Gosson, professora e coordenadora do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais (Napne) do Campus Natal-Central do IFRN, resumiu a ciência para o Instituto: “A ciência não é só em termos de conteúdo, ela está na nossa vida”, diz Vanessa. “Para os portadores de necessidades especiais que são atendidos aqui pela instituição, essa ciência dá oportunidade para ampliar os conhecimentos que muitos deles não tiveram acesso, como robótica, artes relacionadas às ciências e ações que são desenvolvidas em termos de educação, ciência e tecnologias”, arrematou. O discurso da professora faz eco com o que pensa João Teixeira, também professor e diretor de Inovação do IFRN: “Essa é uma característica das mostras apresentadas pelo IFRN: os alunos estão conseguindo perceber os problemas, as dificuldades deles e propondo soluções tecnológicas", disse.

Integração

“Aqui congregamos o que estamos construindo na instituição e tornamos público algo que muitas vezes fica restrito. Mostramos os resultados de pesquisas e todo o esforço em prol da resolução de problemas que são oriundos da própria sociedade”. A fala é do professor Márcio Chagas, do Campus Canguaretama, que esteve com projeto no Congic. Para Denise Cássia, do Campus Cidade Alta, são projetos extremamente inovadores, com potencial de alta aceitação no mercado, pois “possibilitam a melhora da qualidade de vida das pessoas, de uma forma que se consiga oferecer muitos serviços e produtos gratuitos, podendo também fazer parcerias com instituições públicas para dar ainda mais o acesso a eles”, finalizou, ao falar do Prêmio de Empreendedorismo.

Régia Lopes, pró-reitora de Extensão do Instituto, definiu o papel da sua pasta ao falar do Simpósio: “nosso trabalho é o diálogo da instituição com a sociedade. Levar o conhecimento formado, levar o aluno a trabalhar na sua formação como cidadão, reconhecendo os problemas da sociedade e buscando, através do conhecimento, a resolução desses problemas”, concluiu.

Premiados

Na cerimônia de encerramento da Secitex, além da premiação aos trabalhos melhor avaliados, houve a apresentação do Musicampi, banda formada por servidores de várias unidades do IFRN. Com repertório de MPB, os músicos embalaram os ansiosos estudantes que aguardavam o ponto alto da noite. A equipe ‘Laica’, do Campus Natal-Central, foi a vencedora do prêmio da Olímpiada de Robótica, garantindo seu credenciamento para uma Olimpíada nos mesmos moldes, a ser realizada em Portugal em 2019; já pela Mostra Tecnológica, a equipe campeã, que apresentou o projeto “Desenvolvimento de sistema inteligente baseado em smart clothes para medições de conforto térmico e monitoramento da postura da coluna vertebral em ambientes de trabalho”, do Campus Caicó, ganhou o credenciamento para a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontece em 2019, na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Abaixo as listas dos melhores avaliados:

Congresso de Iniciação Científica

Simpósio de Extensão

Mostra Tecnológica

Olimpíada de Robótica

Prêmio de Empreendedorismo Inovador

Ações do documento

Tags: ,
Página em carregamento