Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Reitor lembra à bancada parlamentar as necessidades orçamentárias do IFRN
Transparência

Reitor lembra à bancada parlamentar as necessidades orçamentárias do IFRN

17/08/2017 - Wyllys Farkatt reforçou ao coordenador da bancada o pedido de liberação de emenda

Reitor lembra à bancada parlamentar as necessidades orçamentárias do IFRN

Deputado Felipe Mais recebe ofício das mãos do reitor Wyllys Farkatt. Fonte: instagram do deputado

O reitor Wyllys Farkatt Tabosa, do IFRN, foi recebido nesta terça-feira (13) pelo coordenador da bancada parlamentar do Rio Grande do Norte, deputado federal Felipe Maia. O principal tema da reunião foi a emenda de bancada proposta pela senadora Fátima Bezerra para a expansão e fortalecimento do Instituto, no valor de R$ 14 milhões. Frente às dificuldades orçamentárias enfrentadas pelo IFRN, o reitor reforçou o pedido de esforços conjuntos para a liberação da emenda.

Liberado, o recurso deve ser utilizado para investimentos na infraestrutura física e de equipamentos dos campi do IFRN, como renovação de laboratórios de informática, construção de parques esportivos entre outros. O recursos voltado para esse tipo de investimento, nomeado como de capital, foi contingenciado em 40% só neste ano de 2017. 

"A previsão é que continue assim. Estamos nessa frente de esforços junto à toda bancada potiguar, deputados e senadores, no intuito de somar forças para ampliar o trabalho de ensino, pesquisa e extensão que desenvolvemos na sociedade potiguar", destacou o reitor. No encontro com o coordenador da bancada, também foi solicitado reforço, desta vez junto ao Ministério da Educação, para a aprovação da mudança de tipologia dos campi Lajes e Parelhas de avançado para campus efetivo, além do reconhecimento oficial da EaD como campus. 

O IFRN hoje tem 21 campi espalhados por todas as regiões do Rio Grande do Norte. Com mais de 30 mil estudantes e 3 mil servidores, promove a pesquisa e a inovação, atividades extensionistas, além de manter programas de assistência estudantil, cultura e esportes. Neste ano, com o contingenciamento de 15% de custeio e de 40% de capital, foi desafiado a refazer seu planejamento e adaptar-se à nova realidade financeira. "Sabemos que educação requer investimentos. Estamos lutando em todas as frentes para reverter essa realidade financeira", finalizou o reitor.

Ações do documento

Página em carregamento