Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Estudantes produzem adubo ecológico a partir de compostagem de resíduos
Campus Pau dos Ferros

Estudantes produzem adubo ecológico a partir de compostagem de resíduos

27/03/2017 - Alunos da Escola Municipal Severino Bezerra visitam o IFRN para conhecer o projeto de extensão

Estudantes produzem adubo ecológico a partir de compostagem de resíduos

Durante a visita, Técnicco Júnior Sales apresenta aos alunos a importância do processo de compostagem

O projeto de Extensão Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos, o "COLETARES", do Campus Pau dos Ferros, está promovendo uma série de atividades educativas em defesa do meio ambiente, especialmente no que tange as atividades correlatas à coleta seletiva.


Além de palestras, instalação de lixeiras sinalizadas, "papa-pilhas e baterias", gincanas, entre outras atividades de conscientização, o projeto está produzindo adubo ecológico a partir de resíduos orgânicos gerados no IFRN. Durante a semana passada, os alunos da Escola Municipal Severino Bezerra, de Pau dos Ferros, puderam conhecer de perto como o processo de compostagem é realizado e sua importância para o meio ambiente. O Coordenador do Projeto, Bruno Martins, integrantes e bolsistas, acompanharam a visita.

COLETARES

O Coletares é um projeto aprovado em seleção da Pró-Reitoria de  Extensão do IFRN (Proex) e atende o Campus Pau dos Ferros e a Escola Municipal Severino Bezerra. O foco do Projeto é implantar coleta de Resíduos Sólidos nessas duas escolas, através de ações como encontro, palestras e atividades educativas.

COMPOSTAGEM
O “composto orgânico” é gerado a partir de um processo denominado compostagem que, no âmbito do IFRN, é produzido a partir do recolhimento de resíduos orgânicos do Refeitório, restos de poda e capina. Para melhorar a qualidade do composto, o material passa ainda  pelo minhocário do Campus. Neste ambiente, minhocas se alimentam do composto, transformando-o em húmus de minhoca, que nada mais é do que um adubo com partículas ainda menores, o que favorece a utilização pelas plantas.

O tempo de compostagem pode variar de semana a meses, dependendo do tipo de matéria. No IFRN, o processo dura em torno de 60 dias. Segundo o Coordenador de Extensão do Campus, o técnico em agropecuária Júnior Sales, também integrante do Projeto, a compostagem vem sendo realizado no Campus desde setembro de 2016. "É importante ressaltar que todo o material produzido está sendo utilizado para adubação das plantas da escola", detalha Júnior Sales.

Ações do documento

Página em carregamento