Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / IFRN inicia instalação de equipamentos do Centro de Tecnologia Mineral
Pesquisa e Inovação

IFRN inicia instalação de equipamentos do Centro de Tecnologia Mineral

27/08/2018 - CTM funcionará em Currais Novos, através de parceria entre IFRN, Funcern, Fapern e Fundação Gorceix

IFRN inicia instalação de equipamentos do Centro de Tecnologia Mineral

Servidores também receberam capacitação para o uso da mini planta de flotação

Com o intuito de ampliar o setor tecnológico e produtivo de mineração no Rio Grande do Norte, o IFRN iniciou, na semana passada, de 20 a 24 de agosto, a instalação da mini planta de operação de processamento e análise de minerais. O equipamento, um dos 6 existentes no país, foi instalado no prédio que funcionará o Centro de Tecnologia Mineral (CTM), em Currais Novos. O projeto é uma parceria entre o IFRN, a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern), a Fundação de Apoio ao IFRN e a Fundação Gorceix - da Universidade Federal de Ouro Preto.

CTM

Localizado na jurisdição do Campus Currais Novos do IFRN, o CTM contará com uma área de aproximadamente 800 m², distribuída em dois laboratórios de pesquisa, uma planta-piloto, uma área de preparação da amostra, seis salas incubadoras, cinco salas para grupos de pesquisa, sala de treinamento, além de um centro de gestão. "Um investimento calculado em torno de R$ 800 mil que contribuirá com a extração, análise e processamento de minerais da região do Seridó potiguar e fortalecerá a competitividade produtiva do Rio Grande do Norte no cenário da mineração brasileira e mundial", explicou o reitor do IFRN, Wyllys Farkatt.

Já o pró-reitor de Pesquisa e Inovação, Márcio Azevedo, destaca que o CTM é um grande passo para ingressar no nicho dos seis estados de referência tecnológica mineral do Brasil. O Centro pretende, em parceria com a Fundação Gorceix - da Universidade Federal de Ouro Preto -, concentrar as demandas de aperfeiçoamento de pesquisa mineral na região Nordeste. Em um primeiro momento, seguindo o modelo de gestão da fundação mineira, concentrará projetos de empresas privadas e subsídios técnicos do IFRN, gerando, dessa forma, recursos que serão convertidos para o Instituto e para o estado.

Participantes

Para a implementação do CTM, o IFRN movimenta pesquisadores e professores de três campi: Currais Novos, Parelhas e Natal-Central, além da Funcern. Ao todo, o projeto reúne uma equipe multidisciplinar de profissionais, que conta com químicos, engenheiros químicos, engenheiros de minas, geólogos, engenheiro de processo e engenheiro eletricista. As atividades são coordenadas pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação do IFRN (Propi).

Para Alexandre Magno, professor de Mineração do Campus Natal-Central, o CT Mineral fomentará projetos de pesquisa em tecnologia mineral e inovação, com forte capacidade produtiva de nível mundial. Ele ainda ressaltou o empenho e o esforço do reitor, professor Wyllys Tabosa, e do pró-reitor de Pesquisa e Inovação para tornar o projeto viável. 

Referência 

Rodrigo Siqueira, diretor de inovação tecnológica da Propi, destacou o potencial do CT em ser uma referência na extração de vários minerais não só no Brasil, como também no mundo. Ele ainda destacou que o próximo passo é implementar um modelo de gestão comercial e iniciar as operações “É um projeto que envolve pesquisa e muito empenho. Temos profissionais, potenciais, parcerias e instalações de excelência. Nos próximos cinco anos, podemos ser referência brasileira nesse mercado”, revelou.    

Com o avanço, o IFRN passará a integrar, junto ao Ministério de Minas e Energias, o ecossistema de mineração no Brasil. Espera-se que o Centro de Mineração contribua com o mercado local, fortalecendo o potencial da mineração potiguar, criando novos vínculos e descobertas.

Fundação Gorceix

Possuindo mais de 50 anos de atuação no mercado, a Fundação Gorceix é considerada uma das principais instituições de apoio ao desenvolvimento de ciência e tecnologia do setor minério-metalúrgico. A instituição tem contribuído com as áreas da geologia, mineração, metalurgia e áreas afins.

Ações do documento

Página em carregamento