Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Curso Superior de Tecnologia em Marketing recebe conceito máximo
Campus Natal-Zona Norte

Curso Superior de Tecnologia em Marketing recebe conceito máximo

14/11/2017 - Análise do MEC considerou perfil do corpo docente, instalações e organização didático-pedagógica

Curso Superior de Tecnologia em Marketing recebe conceito máximo

Indicadores da dimensão avaliada no Campus configura quadro além do que expressa referencial mínimo de qualidade

O Curso Superior de Tecnologia em Marketing do Campus Natal - Zona Norte obteve conceito 5 em avaliação feita pelo Ministério da Educação (MEC). A nota veio após visita realizada por representantes do órgão entre os dias 6 e 7 de novembro.

"Na verdade, o conceito 5 é o reconhecimento de todo um longo e cuidadoso processo de planejamento, que teve início na revisão das ofertas do Campus em 2012 e que culminou com a visita dos avaliadores [do Inep] neste mês, explicou a professora Karla Angélica Lima, coordenadora do curso.

Segundo ela, a graduação, que vem se solidificando ao longo do tempo, devido à infraestrutura oferecida e capacitação dos professores, tem possibilitado a formação de futuros profissionais alinhados às tendências do mundo do trabalho. "Precisamos continuar trabalhando no sentido de contribuir para a qualificação cada vez melhor dos nossos alunos. A Zona Norte de Natal merece um curso de qualidade e queremos ofertar sempre o melhor", concluiu.

"Para a comunidade acadêmica do Campus, que planejou o curso ao longo de dois anos, entre 2013 e 2015, com discussões amplas sobre os seus objetivos, seu impacto na comunidade, sua projeção de carga horária da equipe, na aquisição de acervo, no debate sobre a sua matriz curricular, portanto, como uma construção coletiva e participativa, receber a nota máxima na avaliação do MEC é coroar o trabalho com o ânimo redobrado, com a certeza de que todos os servidores, estudantes e gestores cumpriram o seu papel nesse processo que revela a nossa própria identidade", disse o diretor-geral Valdemberg Magno Pessoa em nota, na qual parabenizou todos os envolvidos no processo.

Em 2012, o curso foi proposto por um grupo de professores da área de Gestão e Negócios e aceito posteriormente pelo Colegiado da Diretoria Acadêmica como opção para verticalização do Curso Técnico em Comércio, muito em função da vocação empreendedora da ZN.

 

Conceito: o que significa?

O reconhecimento de curso, segundo o Art. 34, do Decreto n.º 5.773/2006, é uma condição necessária, juntamente com o registro, para a validade nacional dos respectivos diplomas emitidos pelos cursos de nível superior. A Lei n.º 10.861/2004, que instituiu o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, observa que a avaliação desses cursos também tem por objetivo identificar as condições de ensino oferecidas aos estudantes, em especial às relativas ao perfil do corpo docente, às instalações físicas e à organização didático-pedagógica, que são as dimensões avaliadas.

De acordo com legislação, os conceitos atribuídos aos cursos vão de 1 a 5, sendo que a nota 5 representa o conceito máximo. Isso significa que os indicadores da dimensão avaliada configuram um quadro além do que expressa o referencial mínimo de qualidade caracterizado pela nota 3.

A visita foi realizada por dois avaliadores, que foram acompanhados pelos representantes do Campus. Nos dois dias de avaliação houve reuniões com alunos, professores e equipe gestora, além de análises da infraestrutura da escola.

 

Como funciona a avaliação de cursos?

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep – conduz todo o sistema de avaliação de cursos superiores no Brasil, produzindo indicadores e um sistema de informações que subsidia tanto o processo de regulamentação, exercido pelo MEC, como garante a transparência dos dados sobre a qualidade da educação superior a toda sociedade. Um dos instrumentos que subsidiam a produção de indicadores de qualidade e os processos de avaliação de cursos desenvolvidos pelo Inep são as avaliações in loco em instituições públicas e privadas realizadas pelas comissões de especialistas. 

No âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e da regulação dos cursos de graduação no país, prevê-se que os cursos sejam avaliados periodicamente. Assim, os cursos de educação superior passam por três tipos de avaliação: para autorização, para reconhecimento e para renovação de reconhecimento.

  • Para autorização: Essa avaliação é feita quando uma instituição pede autorização ao MEC para abrir um curso. Ela é feita por dois avaliadores, sorteados entre os cadastrados no Banco Nacional de Avaliadores (BASis). Os avaliadores seguem parâmetros de um documento próprio que orienta as visitas, os instrumentos para avaliação in loco. São avaliadas as três dimensões do curso quanto à adequação ao projeto proposto: a organização didático-pedagógica; o corpo docente e técnico-administrativo e as instalações físicas.
  • Para reconhecimento (aplica-se, neste caso, ao CST em Marketing): Quando a primeira turma do curso novo entra na segunda metade do curso, a instituição deve solicitar seu reconhecimento. É feita, então, uma segunda avaliação para verificar se foi cumprido o projeto apresentado para autorização. Essa avaliação também é feita segundo instrumento próprio, por comissão de dois avaliadores do BASis, por dois dias. São avaliados a organização didático-pedagógica, o corpo docente, discente, técnico-administrativo e as instalações físicas.
  • Para renovação de reconhecimento: Essa avaliação é feita de acordo com o Ciclo do Sinaes, ou seja, a cada três anos. É calculado o Conceito Preliminar do Curso (CPC) e aqueles cursos que tiverem conceito preliminar 1 ou 2 serão avaliados in loco por dois avaliadores ao longo de dois dias. 

Ações do documento

Página em carregamento