Você está aqui: Página Inicial / Campi / Santa Cruz / Notícias / Jovem Embaixadora Representante do IFRN recebe passaporte
embaixadores!

Jovem Embaixadora Representante do IFRN recebe passaporte

24/11/2016 - Rarielly foi bolsista voluntária do Napne do projeto de Extensão "Capacitação Básica em Libras"

Jovem Embaixadora Representante do IFRN recebe passaporte

Rarielly Virgínia, aluna do 4° ano do curso de Mecânica integrado, representará o IFRN em 2017 no programa Jovens Embaixadores

Na manhã dessa terça-feira, dia 22 de novembro de 2016, a aluna Rarielly Virgínia, recebeu o seu tão esperado passaporte emitido pela Polícia Federal em Natal. Já nos últimos detalhes da preparação antes da viagem, cumprindo as orientações dadas pela embaixada dos EUA.

Rarielly é a única representante do Instituto Federal do Rio Grande do Norte selecionada pelo programa Jovens Embaixadores, que este ano comemora 15 anos, é patrocinado pela Missão Diplomática dos EUA e por parceiros privados. Ainda muito emocionada com a notícia a jovem embaixadora disse:

até agora não consigo acreditar em tudo isso, parece que esse tipo de coisa nunca vai acontecer com a gente”. 

Desde o lançamento do programa em 2002, 467 jovens brasileiros da rede pública de ensino já participaram do programa. Para a edição de 2017, mais de 18.700 jovens se inscreveram.

Um dos requisitos predominantes para a seleção da aluna, foi ela ter desenvolvido trabalhos voluntários no Núcleo de apoio às pessoas com necessidades educacionais específicas - Napne, no ano de 2015/2016. Essa era uma das exigências principais do Programa Jovens Embaixadores.

"Ser bolsista voluntária do Napne no projeto de extensão, capacitação básica em Libras, foi um divisor de águas na minha vida. Eu aprendi a ser mais humana, a confiar mais em mim mesma, a acreditar que sempre é possível ajudar alguém. Antes, eu posso dizer que era uma pessoa egoísta, mas hoje eu consigo perceber a dor da outra pessoa e trabalhar com surdos, pra mim foi maravilhoso. Sem esse projeto eu não seria selecionada, pois mais 70% da exigência para ser um Jovem Embaixador é desenvolver projetos de inclusão". Completou Rarielly.    

Durante três semanas, ela e mais 49 jovens de todo o país passarão pela capital dos EUA, Washington, D.C, além de seguirem em grupos menores para diferentes cidades americanas. Os jovens participarão de reuniões com autoridades do governo dos EUA, líderes comunitários, visitarão escolas e projetos sociais, participarão de atividades de voluntariado e, como representantes da juventude brasileira nos EUA, farão também apresentações sobre o Brasil, sua cultura e seu povo. No final da viagem, eles apresentarão planos de ação na área de voluntariado que serão implementados em suas comunidades após o retorno ao Brasil.

LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais

 

Ações do documento

Página em carregamento