Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Reforço da imagem institucional é o grande objetivo da Comunicação Social
Planejamento 2019

Reforço da imagem institucional é o grande objetivo da Comunicação Social

13/03/2019 - Os focos principais do ano são a atualização do site e do audiovisual no âmbito institucional

Reforço da imagem institucional é o grande objetivo da Comunicação Social

Maria Clara Bezerra, assessora de Comunicação Social e Eventos do IFRN. Foto: Thuan Duarte

Em levantamento realizado por grupo de pesquisa espanhol, o IFRN foi apontado como o melhor Instituto Federal do país quanto à presença e relevância na internet. Além do conteúdo científico produzido por estudantes e servidores, o material institucional compartilhado em sites e redes sociais também contribui com esse resultado. Segundo Maria Clara Bezerra, assessora de Comunicação Social e Eventos do IFRN, o reforço do elo entre as equipes de comunicação do Instituto é um dos principais caminhos para reforçar essa presença. Para Clara, que é publicitária de formação, "estreitar os laços entre os comunicadores dos campi é importante para que, unidos, possamos construir o que planejamos”. Confira entrevista completa sobre os destaques do setor em 2019. 

Asce — Quais serão as metas da Comunicação para 2019?

Maria Clara Bezerra  A meta principal é reforçar a imagem da instituição, tanto para o público interno, quanto para o externo. É o que está proposto no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), que está em fase de conclusão e valerá por oito anos. Para isso, em 2019, temos dois focos principais: a reestruturação do site e da área de audiovisual quanto às divulgações institucionais. O site vai colaborar muito, por exemplo, com a divulgação dos processos seletivos, já que os cursos são o principal serviço que oferecemos para a sociedade, dentro da perspectiva da formação integral do cidadão.

Asce — Como pretendem fazer isso?

Maria Clara Bezerra  Destaco o reforço do elo entre as equipes: a assessoria de comunicação junto às coordenações de comunicação de todos os campi. Uma das ações é o encontro do recém formado Comitê Estratégico de Comunicação Social e Eventos (ComECE). O encontro acontece de 2 a 4 de abril, no Campus Mossoró. Teremos também cursos de capacitação durante o ano. O ComECE foi proposto na Política de Comunicação do IFRN, elaborada pelos comunicadores e aprovada no final de 2018 pelo Conselho Superior (Consup). A Política é um importante passo para consolidar aquilo em que acreditamos: uma comunicação pública e estratégica, aliada dos objetivos institucionais e construída de forma colaborativa não só pelos setores de comunicação, mas por todos que fazem o IFRN.

Asce — Que desafios pretendem encarar em 2019?

Maria Clara Bezerra  Lançamos, no final de 2018, o novo filme institucional do IFRN, durante a celebração dos dez anos de criação dos Institutos Federais. Essa iniciativa uniu o grupo de comunicadores do Instituto em torno de um mesmo projeto. Agora é tempo de lançar os filmes dos campi. Estamos no processo de edição do material, que vai contar com o apoio da Funcern, e até o final do semestre teremos lançado todos eles. Paralelo a isso, estamos nos estruturando para dar início ao Núcleo de Audiovisual na Reitoria, que vai trabalhar em colaboração com a Coordenação de Vídeo-Produções do Campus Natal-Zona Leste (antes chamado EaD) e com todo o Instituto. O Núcleo também foi resultado das discussões da Política de Comunicação. O programa IFRN em Pauta deu uma pausa em suas atividades. Junto à Covídeo, estamos repensando o seu formato para que volte falando de forma mais direta a linguagem da Instituição e dos seus públicos. Como já pontuado, o segundo grande desafio é a reestruturação do site do IFRN. Estamos com a colaboração do servidor Ibnny Ferreira, coordenando esse trabalho, realizado em parceria com a Diretoria de Gestão em Tecnologia da Informação (DIGTI). Nosso site hoje tem cerca de 16 milhões de visualizações no ano. É nosso canal de comunicação mais importante. Em breve divulgaremos uma pesquisa de percepção que, junto aos dados fornecidos pelo Google Analytics, vai nos orientar na redefinição da hierarquia da informação. A previsão é concluirmos o trabalho até agosto, para iniciarmos a migração do conteúdo do site atual para o novo.

Asce — Qual a importância do trabalho das assessorias de comunicação no IFRN?

Maria Clara Bezerra  Durante toda sua história de quase 110 anos (10 como IFRN), a instituição foi se consolidando e ganhando o respeito da sociedade potiguar. No geral, os potiguares sabem o que é o IFRN, mas a maioria não têm a dimensão sobre tudo que fazemos e ofertamos. Somos parte de uma das maiores e melhores estruturas e locais de aprendizado, de trabalho, do país. Enquanto equipe de comunicadores, precisamos nos fortalecer para promovermos cada vez mais o que é o IFRN, e quando falo em nos fortalecer digo crescer em número de pessoal também. Comunicação é uma das ações mais nitidamente humanas que existem: se faz com pessoas e para pessoas. É necessário que a sociedade entenda e cobre da gente, mas para isso ela tem que conhecer o que essa Instituição faz, o que ela produz. São vários universos dentro de um só. Têm projetos aqui que vão ser apresentados fora do país por alunos do ensino médio integrado ao técnico, têm ações de alunos de ensino superior sendo aplicadas nas cidades das regiões onde estão os campi, em escolas, comunidades quilombolas, indígenas e muito mais. Tem Centro de Tecnologia sendo construído em Currais Novos e incubadoras tecnológicas em vários campi. O IFRN tem um doutorado, além de quatro cursos de mestrado. Têm pesquisadores em instituições estrangeiras fazendo pesquisa de ponta. Esse é o nosso salto: não é só falar sobre a oportunidade do ensino público de qualidade, mas também sobre a promoção ao desenvolvimento científico e cultural do estado. Como nossos estagiários apresentaram em uma oficina interna que realizamos no ano passado, a Assessoria de Comunicação Social e Eventos do IFRN é um coração: recebe as informações sobre o que é feito em toda Instituição para enviá-las aos diferentes públicos e recebê-las de volta. É para que esse ciclo continue e possa ajudar a alimentar o que é feito na Instituição, e nos alimentar enquanto isso, que existimos.

Ações do documento

Página em carregamento