Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Pró-reitoria de Extensão do IFRN tem nova direção
Gestão Escolar

Pró-reitoria de Extensão do IFRN tem nova direção

13/09/2012 - Quadro de pró-reitores do Instituto sofre mudança e na Proex assume a professora Régia Lúcia Lopes

Pró-reitoria de Extensão do IFRN tem nova direção

Professora Régia Lúcia Lopes, que agora responde pela Pró-Reitoria de Extensão do IFRN

A convite do reitor Belchior de Oliveira Rocha, a professora doutora Régia Lúcia Lopes assumiu, nesta segunda-feira (10), a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).

Antes de Régia Lopes, quem respondia pela Proex era o professor Wyllys Abel Farkatt, que assume agora a Pró-reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Prodes). A Prodes ficava a cargo do professor José de Ribamar Silva Oliveira. O professor Ribamar assumiu a Pró-reitoria de Ensino, antes comandada pela professora Anna Catharina Dantas. A convite do MEC, Anna Catharina passou a coordenar a Diretoria de Políticas da Educação Profissional e Tecnológica. 

Ex-aluna de Edificações de 1979 a 1981, na antiga Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFRN), atual IFRN, a nova pró-reitora de Extensão passou a ser servidora pública em 1991, quando foi aprovada em concurso público para ser professora dos cursos técnicos de Saneamento e Controle Ambiental. 

A pró-reitora afirmou que, durante seus 21 anos no Instituto, um dos momentos mais marcantes foi a reformulação curricular promovida em 1995. "Esse nosso trabalho realmente quebrou muitos paradigmas. A gente mudou o ETFRN de cursos técnicos isolados para áreas de interesse. Foi um trabalho árduo, muito importante", comentou.

Régia Lúcia Lopes atuou como membro da Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD) entre 1992 e 1994, mesmo ano em que assumiu a coordenação do Curso Técnico de Saneamento do ETFRN. Em 1999, durante a transição de Escola Técnica para Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET), foi nomeada Gerente da área de Tecnologia Ambiental do CEFET, quando trabalhou no projeto de implantação do Curso Superior em Meio Ambiente.

No ano 2000, assumiu a Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Câmpus Natal-Central, cargo que exerceu até 2002. Nesse período, atuou na elaboração do projeto de melhoria de infraestrutura dos laboratórios do câmpus. Após dois anos na Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Câmpus Central, Régia Lopes foi convidada a ser Coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Meio Ambiente, exercendo essa função até 2004.

Logo após deixar a coordenação do curso, a professora Régia participou do projeto responsável por angariar recursos para a  construção de três unidades do Instituto: Ipanguaçu, Currais Novos e Zona Norte. Com o projeto de criação dos novos câmpus concluído, Régia Lopes ia semanalmente a Recife realizar o doutorado em Engenharia Civil na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), iniciado em 2007. 

Em 2011, já doutora, voltou ao Instituto para reassumir a Coordenação do Curso Superior de Tecnologia em Meio Ambiente e levou um susto. "Quando saí era CEFET e tinha somente 5 unidades [Natal-Central, Zona Norte, Mossoró, Ipanguaçu e Currais Novos] e quando voltei já se chamava IFRN e eram 16 câmpus. Foi uma mudança muito grande, eu tive que reconhecer a Instituição", frisou a pró-reitora.

Com a nova função, a ideia, segunda a pró-reitora, é continuar com o trabalho e fazer da extensão um elo entre o ensino e a pesquisa. "Vou visitar os câmpus do Instituto para fazer uma apresentação da nova Proex e para criar um enlace com as coordenações de extensão de cada câmpus", frisou.

Ações do documento

Página em carregamento