Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Persistência para ser servidora do IFRN fez professora mudar de vida duas vezes
Construindo Conexões

Persistência para ser servidora do IFRN fez professora mudar de vida duas vezes

05/02/2018 - A potiguar Cinthia Telles mudou para a Bahia e agora retorna para assumir vaga no Campus Macau

Persistência para ser servidora do IFRN fez professora mudar de vida duas vezes

Cinthia Beatrice é da disciplina de Biologia

A série "Construindo Conexões" prossegue e hoje vamos apresentar uma servidora que persistiu em ser não apenas Instituto Federal, mas IFRN. Potiguar, Cinthia Beatrice da Silva Telles, de 33 anos, é graduada, mestra e doutora em Biologia pela UFRN. Em 2013, ela deu seus primeiros passou no Instituto Federal do Rio Grande do Norte quando foi selecionada para a vaga de professora substituta no Campus Currais Novos, onde permaneceu por dois anos. Finalizando o contrato, Cinthia retornou ao Instituto por mais seis meses, dessa vez lotada no Campus Parnamirim também como professora substituta.

“Quando a gente está aqui como substituto, a expectativa cresce ainda mais, junto da torcida e apoio dos colegas que sempre nos motivam dizendo que em breve iremos entrar no IFRN enquanto efetivos”, comentou a professora sobre a relação com os colegas do Instituto.

Cinthia já estava habituada a estudar para concursos. Tentou o IFRN antes, mas não conquistou a aprovação. Há um ano, foi empossada como professora efetiva no Instituto Federal, mas não o do Rio Grande do Norte. Casada há cinco anos e mãe de um garoto com quatro anos de idade, a docente mudou-se para terras baianas com a família e foi professora em dois campi do IF Baiano: Bom Jesus da Lapa e Itaberaba.

No último dia 26 de janeiro, Cinthia não conseguia esconder o sorriso. Estava sendo empossada novamente, mas agora, no Campus Macau do IFRN. “Voltar para perto da família, saber que meu filho vai crescer próximo aos avós, são alegrias tão grandes que a ficha ainda não caiu”, disse a servidora que fixará residência no município de Macau.

Sobre a expectativa em trabalhar no IFRN, a professora mostra que já tem planos: “O campus oferta graduação em Biologia e isso pode facilitar o desenvolvimento de pesquisas e crescimento na área. Macau é uma região praiana e o meu doutorado é em uma área que trabalha bastante com algas, ou seja, mais possibilidades favoráveis para realizar trabalhos junto aos estudantes”. 

E para quem ainda está estudando com foco em concursos públicos, Cinthia deixa um recado: "Não desanime e sempre busque especialização. Eu sou um exemplo de que, às vezes, não é na primeira vez que a gente consegue, mas se permanecer tentando, a gente alcança nosso ideal”.

 

Ações do documento

Página em carregamento