Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / IFRN discute integração curricular e uso da tecnologia
SEMANA PEDAGÓGICA

IFRN discute integração curricular e uso da tecnologia

24/07/2019 - Série de debates e capacitações acontece desde a última segunda-feira (22)

IFRN discute integração curricular e uso da tecnologia

Da esquerda para a direita: a pró-reitora de Ensino, Ticiana Cunha; Monique Bezerra, professora do Campus Natal-Cidade Alta; Airton Araujo, professor do Campus Parnamirim; e Jaime Biella, professor convidado da UFRN. Foto: Alberto Medeiros

Aconteceu nesta segunda-feira (22), no auditório do Campus Natal-Central do IFRN, a abertura da Semana Pedagógica 2019.2. Na ocasião, estiveram presentes o reitor do IFRN, Wyllys Farkatt, o diretor-geral do Campus, Arnóbio de Araújo, a pró-reitora de ensino do Instituto, Taciana Coutinho, que assumiu a coordenação da área neste mês de julho, e a diretora de Ensino do Campus Natal-Central. Em momento posterior, foi realizada a mesa-redonda intitulada Integração curricular e o uso da tecnologia na atuação docente, da qual participaram Monique Bezerra, professora do Campus Natal-Cidade Alta; Airton Araujo, professor do Campus Parnamirim; e Jaime Biella, professor convidado da UFRN.

Defesa da educação

A cerimônia de abertura foi marcada por falas de defesa à educação pública de qualidade. “Os Institutos Federais não são um projeto de governo. Eles representam uma revolução na educação pública do Brasil. É um parâmetro que deve ser tomado como diretriz de um projeto de nação”, completou. Ressaltando, ainda, a garantia de transparência, ensino de qualidade, pesquisa, extensão e internacionalização do IFRN, destacou a importância do debate a ser realizado posteriormente. “Para podermos resistir, é preciso existir, e nós vamos continuar existindo, por tudo o que fazemos, somos e representamos hoje para a sociedade”, concluiu. O reitor destacou sua preocupação com a proposta do programa Future-se, sugerido pelo MEC para as Universidades e Institutos Federais do país.

Integração curricular e uso da tecnologia na atuação docente

“Quando falamos de integração, precisamos entender a necessidade de conectar conhecimentos e pessoas que estão envolvidas no trabalho”, disse Monique, ao dar início à mesa-redonda. Segundo ela, para ligar pessoas, é necessário conciliar o diálogo e a colaboração. A professora conta que, ainda no primeiro semestre de 2018, foi instituída a Comissão de Plano de Educação em seu Campus,  o Natal-Cidade Alta, com o objetivo de propor ações educacionais de acordo com o Plano Político-Pedagógico (PPP) do Instituto. O grupo é composto por professores, técnicos, estudantes e pais. Interligando diversas áreas do conhecimento, são realizadas visitas técnicas a outras instituições de ensino, ações formativas, práticas pedagógicas e currículos. Outra iniciativa para promover a integração foi a Docência Compartilhada, idealizada como forma de tornar natural a junção de saberes. “Os professores planejam, conduzem e avaliam as atividades de forma conjunta, fazendo-se, assim, presentes nos tempos de aula destinados anteriormente a cada disciplina”, relatou a professora. 

O professor Airton Araújo, representando o corpo docente de Biologia do Campus Parnamirim, trouxe à mesa uma experiência motivada pela preocupação com o conteúdo curricular da disciplina e o tempo adequado para trabalhá-la, objetivando proporcionar uma melhor formação para os estudantes. O resultado foi encontrado no auxílio da tecnologia: o Moodle, ferramenta disponibilizada pelo Campus Natal-Zona Leste. O Moodle provocou mudanças significativas no método de ensino. “Escolhemos os conteúdos que seriam disponibilizados na plataforma. Eles não foram ministrados presencialmente, mas tivemos outros ministrados de forma híbrida - uma parte online e outra presencialmente”, falou Airton. De acordo com o professor, essa ação permitiu desenvolver outras atividades, inclusive aulas de campo. A satisfação com a ferramenta é geral, de acordo com ele.

Trazendo um olhar externo sobre o PPP, Jaime Biella fez provocações aos participantes da solenidade. “Como transformar a compreensão teórica numa implementação de ordem prática?”, questionou. O professor apresentou três possibilidades de integração curricular: a de competências e habilidades a serem desenvolvidas pelos educandos; a de temas e/ou problemas e/ou projetos de intervenção e a integração de conceitos inerentes às disciplinas que compõem o currículo.

Jaime propôs o desligamento da forma de planejamento vertical e a adesão à horizontal, apontando o diálogo como ponto principal para isso. Segundo o pesquisador, o essencial é que os professores da Instituição conversem entre si a fim de estabelecer uma efetiva integração, sem hierarquização de disciplinas nem assuntos. “A escola que conhecemos é do passado. Cada vez mais, o profissional humano está sendo substituído por robôs. Ou começamos a construir uma nova escola ou ficaremos para trás”, afirmou. Para ele, a escola  continuará sendo uma instituição social importante, desde que ela seja capaz de se reconfigurar para preservar algumas de suas funções essenciais. Para ele, isso passa por uma reflexão sobre o papel do trabalho na sociedade e sobre o que nos define enquanto seres humanos. O professor destacou ainda que, dentro dessa perspectiva, não é o tempo de duração de um curso que determina ou não a integração, mas a disponibilidade dos atores sociais envolvidos na prática educativa de conversarem e buscarem as formas de integrar.

A Semana Pedagógica do IFRN é destinada a professores e servidores técnico-administrativos do Instituto e segue até a próxima sexta-feira (26). Na terça-feira, aconteceu a mesa-redonda "Desafios da Educação em uma perspectiva inclusiva", tendo como debatedores a pró-reitora de Ensino do Instituto, além de Sidney Soares Trindade (UFRN), ex-aluno do IFRN, e Alice Maria Ferreira (UFRN), com mediação de Amilde Fonseca (IFRN). Já na manhã de hoje (24), o tema foi "Sociedade, Educação e Neurociências: perspectivas interdisciplinares sobre o aprender", com a participação de Izabel Hazin (UFRN); Mário André Leocádio Miguel (UFRN) e José Gllauco Smith (IFRN), com a mediação de Rejane Barros, que acaba de assumir a direção Pedagógica do IFRN. 

ACESSE A MESA-REDONDA COMPLETA SOBRE INTEGRAÇÃO CURRICULAR E TECNOLOGIAS

 

Ações do documento

Página em carregamento