Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Conif responde editorial do Estadão

Conif responde editorial do Estadão

02/09/2011 -

 

O Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica - CONIF, divulgou nota em resposta ao editorial do jornal O Estado de São Paulo, publicado no dia 1º de setembro de 2011. O editorial critica o Governo Federal por estimular a criação desenfreada de centros de educação tecnológica sem qualquer planejamento. Segue abaixo a nota do Conif em reposta à publicação.

............................................................................................................................................................


"A decisão da presidenta Dilma Rousseff de avançar na expansão Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, iniciada durante o governo do ex-presidente Lula, reafirma o compromisso do governo federal com o crescimento do país, a distribuição da renda, a inclusão social e o combate à miséria pela via da educação.

 O editorial publicado em O Estado de São Paulo, nesta quinta-feira, 1/9, aponta para uma crítica descabida e tece comentários generalistas sobre a Rede. Na verdade, esse jornal troca o conjunto pelo pontual. Escolhe alguns exemplos negativos para transformar uma proposta política de extremo sucesso – aprovada pela sociedade – numa “crise”.

Com 102 anos, a Rede Federal saiu de uma situação de proibição da expansão para se transformar num exemplo de política educacional bem sucedida. A transformação dos centros federais de educação tecnológica (CEFETs), escolas técnicas, agrotécnicas e escolas vinculadas a universidades em institutos e a sua expansão tiveram planejamento com a distribuição de novos campi por todo o país, a partir de critérios técnicos como população, IDH, Ideb, entre outros.

A Rede Federal, que possuía 140 escolas, algumas sucateadas pelo governo anterior, atualmente alcança municípios de diferentes tamanhos. A terceira fase da expansão contempla 208 unidades dos institutos federais até 2014, em todo o Brasil, com investimentos de cerca de R$ 10 milhões por unidade. Dessas, 88 serão inauguradas até 2012, em 25 estados. As demais serão implantadas no período de 2013 a 2014, quando os institutos federais contabilizarão 600 mil matrículas. Em 2014, a Rede contará com 562 escolas em 515 municípios, abrangendo as 27 unidades da federação, ampliando as oportunidades de qualificação profissional dos brasileiros.

O Conif reafirma o seu total apoio à política traçada pelo governo Lula e agora pela presidenta Dilma para a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. A expansão da Rede Federal é comprovadamente, não apenas pelos números já citados, mas pela opinião pública, um projeto de sucesso e caminho para levar ao conjunto da sociedade a educação de qualidade necessária ao desenvolvimento igualitário do país."

Cláudio Ricardo Gomes de Lima

Presidente do Conif

Ações do documento

Página em carregamento