Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Alunos participam de Forum Social Mundial
FSM 2018

Alunos participam de Forum Social Mundial

21/03/2018 - O FSM 2018 foi realizado na Universidade Federal da Bahia no período de 13 a 17 de março.

Alunos participam de Forum Social Mundial

Alunos representam IFRN no evento.

Alunos do IFRN São Gonçalo do Amarante participaram da 13ª edição do Fórum Social Mundial, encontro anual internacional articulado por movimento sociais, realizado no período de 13 a 17 de março de 2018, na Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador.

A ideia de participação no Fórum surgiu em um diálogo entre Direção Geral e representantes das entidades estudantis do campus. A proposta da Diretoria para os estudantes foi a realização de ações que pudessem envolver toda a comunidade acadêmica nas questões e causas sociais. 

Em virtude disso, e com a eminência da realização do Fórum Social Mundial (FSM 2018), o presidente do Grêmio Estudantil do IFRN/SGA solicitou que o campus proporcionasse a participação de alguns alunos no evento, de forma que eles pudessem obter experiência para assim elevar e disseminar o conhecimento em relação à educação, movimentos sociais e estudantis.

Os discentes foram selecionados em assembleia geral dos estudantes, e, a partir disso, a Coordenação de Atividades Estudantis consolidou a participação deles na 13ª edição do Fórum Social Mundial. Pau do Ferros e Ceará Mirim também enviaram representações estudantis.

No Fórum, os alunos integraram um grupo de mais de 60 mil participantes, de 120 países, em uma programação diversificada, que incluía oficinas, seminários, conferências, debates, plenárias, apresentações culturais, rodas de diálogos; além de atividades de convergências com o objetivo de promover o diálogo entre diferentes lutas em torno de causas comuns. 

Além destas atividades, outras ações marcaram o evento: a marcha de abertura do FSM 2018; a abertura do Acampamento Intercontinental da Juventude, assembleia no salão nobre da reitoria cujo o tema era “A Universidade e a Educação no contexto da Resistência Democrática”, Feira da economia solidária, Marcha para Marielle, Assembleia Mundial de Mulheres, Plenária Nacional dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matrizes Africanas de Terreiros, Assembleia “Educação Profissional e Tecnológica no Brasil: Trajetórias e Rumos”, entre outras.

Depoimentos

Para o presidente do Centro Acadêmico, Cassius Clay, aluno do curso superior de Tecnologia em Redes de Computadores: “Essa semana no fórum, foi uma semana engrandecedora, cheia de aprendizado, experiências e novas ideias para melhor lutar pelas causas sociais e estudantis no nosso estado, foi fácil enxergar o quanto ainda é preciso ser feito e o que a gente pode fazer em nome dos movimentos sociais e em especial o movimento estudantil, a luta no IFRN/SGA pelo ensino público de qualidade só tem a agradecer esse conhecimento adquirido em conjunto com os outros alunos do Instituto e as outras entidades que representam os estudantes do campus”.

O presidente do Grêmio Estudantil Sérvulo Teixeira (GEST), Victor Paiva de Lima Silva, falou sobre o desafio de repassar a experiência e contribuir, através da mobilização e da força dos jovens, na disseminação da perspectiva e da  esperança de tornar um mundo melhor:  “depois de todo o processo para presenciar tal evento, fiquei muito feliz ao ver o entusiasmo de todos os alunos ao falar sobre os eixos, ao discutir uma fala ou até mesmo comentar um ato. É com prazer que anuncio a disseminação da mensagem "aprender pra ensinar" por todos os alunos do IFRN-SGA.”

A aluna Emanuele Mayara Pinheiro, do curso superior de Redes de Computadores, fala um poudo sobre sua experiência: “o Fórum me trouxe novas perspectivas de assuntos que às vezes passam despercebidos, como por exemplo as questões indígenas (...) O evento trouxe uma colaboração e tem uma bagagem de conhecimento enorme, é uma experiência única onde é possível debater vários temas e ideologias com gente do mundo inteiro. É importante que tenhamos mais oportunidades de vivenciar experiência como essa, para que possamos contribuir como ser humanos, e para refletirmos o que é ser cidadão e um indivíduo no meio do coletivo.

O Fórum

O FSM é um espaço de diálogo e convergência entre pessoas com o objetivo de debater e definir novas alternativas e estratégias de enfrentamento ao neoliberalismo, aos golpes antidemocráticos e genocidas que diversos países estão enfrentando nos últimos anos.  Com o lema “Resistir é criar. Resistir é transformar!”, o Fórum visa promover a transformação do ser humano em busca de “Um outro mundo possível”.

Com mais de 1500 coletivos, organizações e entidades cadastrados, e cerca de 1300 atividades autogestionadas inscritas, o FSM 2018, teve representantes de entidades de países como Canadá, Marrocos, Finlândia, França, Alemanha, Tunísia, Guiné, Senegal, além de países Panamazônicos e representações nacionais.

 

Ações do documento

Página em carregamento