Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Parceria com universidade leva mestrandos do IFRN a Portugal
MESTRADO

Parceria com universidade leva mestrandos do IFRN a Portugal

05/04/2018 - Alunos foram recebidos pela Universidade do Minho nesta terça-feira (3)

Parceria com universidade leva mestrandos do IFRN a Portugal

Servidores vão participar de várias atividades acadêmicas; visita segue até 21 de abril

Técnicos-administrativos de vários campi do IFRN foram recebidos pelo Instituto de Educação da Universidade do Minho (Uminho), em Braga, Portugal na última terça, 3/4. Alunos do Mestrado da instituição portuguesa, os servidores vão participar de aulas presenciais, palestras, eventos acadêmicos e atividades culturais até o dia 21 de abril. A comitiva está sob sob coordenação do professor Flávio Ferreira, doutor em Ciências Sociais, e de Jeffersiane Souza, da Diretoria de Gestão de Pessoas (DIGPE). 

Intercâmbio

O intercâmbio dos alunos é fruto de convênio entre o IFRN e a Uminho, articulado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (Propi) sob coordenação do professor Belchior Rocha. Ele oferece cursos de mestrado semipresencial, com aulas via videoconferência duas vezes por semana para servidores.  “O convênio tem grande relevância para o IFRN, qualifica servidores dos seus quadros e investe na produção acadêmica no campo da Educação”, explica o prof. Flávio Ferreira, que também destacou de forma positiva o reconhecimento que o Campus Gualtar da universidade portuguesa tem como produtor de conhecimento no continente europeu. 

Histórico

Em novembro do ano passado, um grupo de treze servidores visitou a Uminho para a realização de aulas presenciais e outras atividades curriculares do curso de mestrado. As áreas de especialidade oferecidas nos cursos são Supervisão Pedagógica, Desenvolvimento Curricular e avaliação, Sociologia e Políticas Educativas e Tecnologia Educativa, a seleção para uma das vagas de mestrado é feita em conjunto pelo IFRN e pela Uminho. A DIGPE informou que a ação é relevante considerando que 82% dos servidores técnico-administrativos não possuem pós-graduação.

Ações do documento

Página em carregamento