Você está aqui: Página Inicial / Campi / Reitoria / Notícias / Alunas do Campus Ceará-Mirim são finalistas na Febrace 2018
aplicativo

Alunas do Campus Ceará-Mirim são finalistas na Febrace 2018

13/03/2018 - Feira de ciências e engenharia destaca projetos de estudantes de todo o Brasil

Alunas do Campus Ceará-Mirim são finalistas na Febrace 2018

Letícia, Mahiara e o coorientador Pedro Baesse na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontece na USP

As alunas do Campus Ceará-Mirim, Letícia Candido Soares e Maihara Estefany Lima da Silva, desenvolveram um aplicativo para dispositivo portátil chamado Educoambiental. As estudantes criaram esse aplicativo com o objetivo de educar os moradores de Ceará-Mirim quanto a importância da preservação do rio que leva o nome da cidade. Para desenvolver a ideia, tiveram a orientação do professor Leandro Silva Costa e a coorientação do professor Pedro Baesse,

É este o projeto que as alunas estão levando para a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) que ocorre na Universidade de São Paulo (USP) do dia 12 ao dia 16 de março. Todo ano a Febrace seleciona projetos apresentados na feira para compor a delegação brasileira e representar o país na International Science and Engineering Fair (Intel Isef), que ocorre todo ano nos Estados Unidos.

Aplicativo

Buscando tornar o ensino de um assunto tão importante mais didático, as alunas se esforçaram para tornar o conteúdo do aplicativo mais dinâmico com jogos, gibi digital e ilustrações. O aplicativo foi feito de forma muito próxima à população de Ceará-Mirim: foram realizadas oficinas para apresentar o projeto e discutir a importância da ferramenta e o próprio conhecimento sobre o rio Ceará-Mirim foi colhido pelas alunas a partir de relatos das pessoas que vivem na cidade. “Nosso objetivo”, disseram, “é criar engajamento da população quanto à causa ambiental e proporcionar conhecimento acerca do potencial hídrico do rio”.

Febrace

A Febrace é promovida pela Universidade Politécnica da Universidade de São Paulo, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis e teve sua primeira edição no ano de 2003. Ela busca influenciar a criatividade dos estudantes do ensino básico através de ações de incentivo à cultura investigativa, de inovação e empreendedorismo.

Ações do documento

Página em carregamento