Você está aqui: Página Inicial / Campi / Natal - Zona Norte / Notícias / Aluna de Informática é admitida em universidade portuguesa
INTERNACIONALIZAÇÃO

Aluna de Informática é admitida em universidade portuguesa

12/03/2019 - Estudante vai estudar Licenciatura em Direito na Universidade do Minho, em Braga

Aluna de Informática é admitida em universidade portuguesa

Processo seletivo do qual Iasnaya participou ofereceu 22 vagas para estudantes de todo o Brasil

A aluna do Curso Técnico em Informática para Internet Iasnaya Rodrigues Abel foi admitida na Curso de Licenciatura em Direito da Universidade do Minho (Braga, Portugal), através do Concurso Especial de Acesso e Ingresso do Estudante Internacional. O processo seletivo oferece a estudantes de países de língua portuguesa, desde que com a qualificação necessária para ingressar no nível superior, a chance de concorrer a vagas em cursos de graduação naquele país.

Ela usou a nota do Exame Nacional do Ensino Médio para tentar a vaga na Universidade do Minho. Eram 22 vagas para estudantes de todo o Brasil. "Foi difícil, concorrido, mas deu certo. Meus pais foram fundamentais, pois me ajudaram financeiramente e me incentivaram o tempo todo. Sempre quis ter a oportunidade de estudar em outro país, conhecer outras culturas e ter mais qualidade de vida. Esse foi o caminho mais curto para ingressar em uma universidade do exterior", contou a estudante.

Iasnaya revelou que a educação que o IFRN lhe ofereceu no ensino técnico integrado ao ensino médio a ajudou muito a atingir o objetivo. "Pude acumular aqui [no Campus Natal - Zona Norte] não só o aprendizado de sala de aula, mas também o da participação em projetos de pesquisa e iniciação científica, que vou levar para a vida. Agradeço também ao professor Bruno [Lima, de Inglês], que por vezes trouxe ex-alunos e convidados para compartilhar experiências conosco sobre estudar fora e nos estimular a participar de programas de intercâmbio. Como eu já tinha interesse pelo assunto e sempre gostei de viajar e aprender novos idiomas, entrei de cabeça nesse projeto de internacionalização".

Diante dos desafios e incertezas a partir de agora, a jovem garantiu que é necessário ter foco para crescer na carreira acadêmica e profissional e disse que vai sentir falta do Brasil. "Vou sentir saudades dos meus amigos, familiares, de cuscuz e de tapioca, que lá é difícil de encontrar e é muito caro", disse, em tom de descontração. "Coloquei na cabeça que é um novo começo, uma nova história. Quero seguir em frente", completou.

Ações do documento

Página em carregamento