Você está aqui: Página Inicial / Campi / Ipanguaçu / Extensão / Prática Profissional / Modalidades de Prática Profissional

Modalidades de Prática Profissional

Estágio dos cursos técnicos e superiores, empresário ou trabalhador, projetos integradores, trabalho de conclusão de curso, outras atividades.

Estágio Supervisionado – Cursos Técnicos

As atividades programadas para o estágio devem manter uma correspondência com os conhecimentos teórico-práticos adquiridos pelo estudante no decorrer do curso. O estágio como prática profissional tem como objetivos:

  • Aliar a teoria à prática, como parte integrante de sua formação; 
  • Facilitar o ingresso do estudante no mundo do trabalho; 
  • Promover a integração do IFRN com a sociedade em geral e com o mundo do trabalho.

Para realizar o estágio o estudante deverá ter concluído com aprovação 50% da carga horária do curso e em conformidade com o estabelecido no projeto pedagógico do curso, estando devidamente formalizado na Coordenação de Extensão do Câmpus. Consulte o link estágios para mais informações.

O estudante deverá submeter o relatório final à Diretoria Acadêmica e à Coordenação do Curso, com aprovação prévia do professor orientador do estágio, conforme o modelo abaixo:


Empresário ou Trabalhador

Os estudantes empresários ou trabalhadores, cujas atividades relacionam-se com as propostas pelo curso, poderão, mediante apresentação de, respectivamente, contrato social da empresa ou contrato de trabalho, requerer a substituição do estágio pela equivalência das atividades desenvolvidas.

O estudante deverá encaminhar um requerimento para ser analisado pelo Colegiado do Curso, juntamente com a declaração do contador da empresa, em caso de empresário, ou do empregador, em caso de trabalhador ou funcionário, conforme o modelo abaixo. O deferimento do processo não desobriga a orientação do estudante bem como todo o trâmite para aprovação do relatório técnico. O estudante também deverá apresentar o relatório técnico final conforme o modelo apresentado para estágio técnico.


Projetos Integradores

Os projetos integradores técnicos ou temáticos, de pesquisa e/ou de extensão deverão contemplar a aplicação dos conhecimentos adquiridos durante o curso, tendo em vista a intervenção no mundo do trabalho e na realidade social, contribuindo para o desenvolvimento local, a solução de problemas e buscando a interdisciplinaridade.

Em todos os cursos técnicos de nível médio e superiores de graduação, serão desenvolvidos projetos integradores, com o objetivo de contribuir para o diálogo entre as disciplinas que integram os respectivos períodos letivos e a articulação teoria-prática dos conhecimentos científicos e tecnológicos próprios de cada curso.

Os projetos integradores poderão estabelecer relações de pré-requisito com outros projetos integradores ou com disciplinas vinculadas. Deverão ser avaliados por uma banca examinadora constituída pelo professor-orientador e pelos professores de disciplinas vinculadas, e sua nota pode variar de 0 a 100 pontos, exigindo-se o mínimo de 60 (sessenta) pontos para aprovação. 

O estudante deverá submeter o relatório final do projeto desenvolvido à Diretoria Acadêmica e à Coordenação do Curso, com aprovação prévia do professor orientador da prática profissional, conforme o modelo abaixo:

 

Trabalho de Conclusão de Curso

O Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) corresponde a uma produção acadêmica que expresse as competências e as habilidades desenvolvidas ou os conhecimentos adquiridos pelos estudantes durante o curso. Os projetos integradores desenvolvidos poderão ser aprofundados de forma a constituir o TCC.

O TCC, quando previsto no projeto pedagógico do curso, é componente curricular obrigatório e poderá ser realizado a partir da verticalização dos conhecimentos construídos nos projetos realizados ao longo do curso ou do desenvolvimento de pesquisas acadêmico-científicas.

O mecanismo de planejamento, acompanhamento e avaliação do Trabalho de Conclusão de Curso é composto pelos seguintes itens: 

  • Elaboração de um plano de atividades, aprovado pelo professor orientador;
  • Reuniões periódicas do estudante com o professor orientador;
  • Elaboração da produção monográfica pelo estudante;
  • Avaliação e defesa pública do trabalho perante uma banca examinadora.

Serão consideradas produções acadêmicas de TCC, a serem previstas no projeto pedagógico do curso, dentre outras: 

  • Monografia, dissertação ou tese;
  • Artigo publicado em revista ou periódico, com ISSN;
  • Capítulo de livro publicado, com ISBN.

Para apresentação do TCC utilizar o seguinte modelo:

  • Modelo de TCC para Monografia, Dissertação ou Tese.

 

Estágio Docente Supervisionado - Cursos de Licenciatura

Nos cursos de licenciatura, o estágio docente caracteriza-se como prática profissional obrigatória. O estágio docente é considerado uma etapa educativa necessária para consolidar os conhecimentos da prática docente; sobretudo, para proporcionar aos estudantes da licenciatura uma oportunidade de reflexão sobre o processo de ensino-aprendizagem, o ambiente escolar e suas relações e implicações pedagógico-administrativas, podendo investigar os aspectos subjacentes que compõem esse panorama e interferem em sua evolução. O estágio docente é desenvolvido em 04 etapas, contabilizando 400 horas distribuídas em 100 horas por período do curso.

 

Atividades acadêmico-científico-culturais – Cursos de Superiores e de Licenciatura

Complementando a prática profissional, os projetos pedagógicos dos cursos poderão prever outras formas de atividades acadêmico-científico-culturais, envolvendo ensino, pesquisa e extensão.

Para a contabilização das atividades acadêmico-científico-culturais, o estudante deverá solicitar, por meio de requerimento à Coordenação do Curso, a validação das atividades desenvolvidas com os respectivos documentos comprobatórios.

Cada documento apresentado só poderá ser contabilizado uma única vez e a validação das atividades deverá ser feita por banca composta pelo Coordenador do Curso e 02 docentes do curso. A Organização Didática do IFRN apresenta uma tabela com a pontuação das atividades, que poderão ser revertidas em horas contabilizadas para cumprimento da prática profissional.

Está informação não substitui a descrita na Organização Didática do IFRN, recomendamos ler o documento na íntegra.

Ações do documento

Página em carregamento