Você está aqui: Página Inicial / Campi / Canguaretama / Notícias / Projeto desenvolvido por professora do Campus Canguaretama ajuda a salvar vidas de grupo em situação de vulnerabilidade social
Transformação social

Projeto desenvolvido por professora do Campus Canguaretama ajuda a salvar vidas de grupo em situação de vulnerabilidade social

15/04/2018 - A ação desenvolvida com os catadores e recicladores foi coordenada pela Dr. Sandra Maria Campos Alves

Projeto desenvolvido por professora do Campus Canguaretama ajuda a salvar vidas de grupo em situação de vulnerabilidade social

Membros da equipe

Em março de 2018, foi realizada a última etapa, desta fase da ação, que tem como público alvo os catadores e recicladores de lixo do bairro do Jiqui, em Canguaretama/RN. Este projeto foi coordenado pela Dr. Sandra Maria Campos Alves, Professora e Coordenadora do curso Mulheres Mil, e contou com a colaboração do Professor e Coordenador de Pesquisa e Inovação do Campus Canguaretama, Dr. Márcio Marreiro das Chagas, do Professor e Coordenador dos Cursos FIC, Alysson Espedito de Melo, do professor Gustavo Henrique de Almeida Barbalho, e do dentista, Lailson Silva de Lima.

Ao falar sobre a proposta, a professora Sandra Campos explica que a ideia do projeto foi abranger um público que, na maioria das vezes, fica invisível para a sociedade, ou seja, os catadores e recicladores de lixo. Para ela, este coletivo “possui um papel fundamental na preservação dos recursos naturais, [...] eles atuam cuidando do ambiente em que vivemos. E, na maioria das vezes, em condições fortemente insalubres e sem apoio algum do setor público”. Com olhar diferenciado sobre o papel da educação, como também para esta questão, este público e suas condições de vida, o Campus Canguaretama, por meio de seus servidores, sob a coordenação da professora Sandra Campos, passou a desenvolver um conjunto de ações com o objetivo de promover desenvolvimento social e cidadania para estas pessoas que desempenham tamanho e fundamental papel para a sociedade.

Nesse sentido, dentre as ações desenvolvidas, foi aberto um Edital Promil com vistas a atender o elo considerado muitas vezes mais frágil, as mulheres catadoras e recicladoras, da comunidade do Jiqui, situado em Canguaretama/RN. Concomitantemente a isto, foram desenvolvidas uma série de outras ações, tais como a capacitação do público masculino dos catadores e recicladores sobre a importância do uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) também doados pelo projeto e financiados com a colaboração dos servidores do Campus Canguaretama, orientação e saúde bucal de jovens e crianças entre outras. Além disso, foi preciso trabalhar a questão da autoestima deste público. Para isto foi fundamental a colaboração da equipe de psicologia e serviço social da Prefeitura Municipal de Canguaretama, atuantes no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Jiqui.

Quando questionado o professor Gustavo Barbalho, que ministrou a capacitação sobre o uso de EPI, sobre o efeito prático na vida dos catadores e recicladores de lixo da capacitação e uso do material doado, ele afirma que o fato de “ter e usar estes equipamentos pode ser um fator crítico para a saúde e a própria manutenção da vida destas pessoas, uma vez que seu local de trabalho é bastante insalubre e em condições bastante desfavoráveis”. Além destas ações, foi lançada a pedra fundamental para novas atuações estratégicas, como por exemplo, a possibilidade de formalização de uma associação de catadores.

A professora Sandra Campos ressalta sua felicidade em desenvolver este projeto, em trabalhar com este público, em especial em uma comunidade com significativa carência de serviços públicos essenciais. Em suas palavras, “em meio a muitas promessas e poucas ações [para este público], nós levantamos a bandeira do lixão, fomos os pioneiros”. Para o Coordenador de Pesquisa e Inovação, professor Márcio Marreiro, em tempos em que os discursos se voltam fortemente para inovação e transferência de tecnologia, faz-se premente destacar ações como estas que visam o bem público, que gera benefícios não apenas para a saúde e vida dos catadores e recicladores, mas também para o meio ambiente e toda a sociedade. Para ele, contribuir para o desenvolvimento social, o desenvolvimento humano, deve sempre ser o objetivo da ação das instituições públicas. E, nesse sentido, o “Campus Canguaretama vem se consolidando como o Campus da pesquisa e da inovação para o desenvolvimento social”.

Ações do documento

Página em carregamento